Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Crianças resgatadas na Colômbia ‘contarão suas histórias’ de luta, diz pai

As quatro crianças foram encontradas pelas Forças Militares da Colômbia na província de Caquetá na sexta-feira, depois de mais de um mês

Por Da Redação
Atualizado em 12 jun 2023, 18h14 - Publicado em 12 jun 2023, 17h00

As quatro crianças que ficaram desaparecidas por mais de um mês na Floresta Amazônica colombiana contarão elas mesmas a luta pela sobrevivência, disse o pai dos irmãos mais novos, de 1 e 4 anos, à imprensa nesta segunda-feira, 12. Responsável pela morte da mãe das crianças e de outros dois passageiros, o acidente de avião no início de maio levou à busca incessante pelos menores durante cinco semanas.

Na última sexta-feira, as quatro crianças foram encontradas pelas Forças Militares da Colômbia na província de Caquetá. De acordo com o porta-voz da instituição, Pedro Arnulfo Sánchez Suárez, elas teriam se alimentado da farinha de mandioca que carregavam no voo por algum tempo, mas logo teriam ficado sem ter o que comer. Ele garante, ainda, que o conhecimento dos menores, que são indígenas, foi essencial para a sobrevivência.

“Suas origens indígenas lhes permitiram adquirir uma certa imunidade contra as doenças da selva e o fato de conhecer a própria selva — saber o que comer e o que não –, além de encontrar água, os manteve vivos, o que não teria sido possível (se) eles não estivessem acostumados a esse tipo de ambiente hostil”, defendeu.

+ Farinha salvou crianças que ficaram 40 dias em mata após queda de avião

Continua após a publicidade

Desnutridas e desidratadas, as crianças foram transferidas para um hospital militar de Bogotá, capital colombiana, no sábado, para receberem os tratamentos adequados. Os laudos médicos indicam que elas ainda “não podem comer”, mas estão fora de perigo de vida. Lesly Jacobombaire Mucutuy, 13, Soleiny Jacobombaire Mucutuy, 9, Tien Ranoque Mucutuy, 4, e a bebê Cristin Ranoque Mucutuy, 1, estão sob monitoramento.

Após realizar uma visita aos seus dois filhos, Manuel Ranoque afirmou que a mãe de Tien e Cristin, Magdalena Mucutuy Valencia, teria permanecido viva por quatro dias após o acidente na mata, apesar da versão ter sido contrariada por outros familiares. Ele disse, além disso, que os menores ‘vão contar suas histórias’ assim que conseguirem.

“Não é fácil perguntar a eles porque as crianças ficaram 40 dias sem comer bem, então não consegui obter informações do filho mais velho”, relatou aos repórteres.

Continua após a publicidade

+ O milagre no caso dos meninos sobreviventes da floresta

Um dos cachorros usados na busca, Wilson, está desaparecido desde 18 de maio, segundo um porta-voz. As crianças teriam sido acompanhadas pelo animal “muito magro” ao longo de três ou quatro dias, conforme indicam os relatos, mas o pastor belga não foi encontrado com elas no momento do resgate.

Levando sete pessoas, a aeronave Cessna 206 partiu do aeroporto de Araracuara, em Caquetá, em direção a San José del Guaviare, cidade da província de Guaviare. Problemas nos motores teriam levado o piloto a emitir um alerta de socorro antes do colapso do avião. A viagem tinha como finalidade o encontro da família com Ranoque, que estava afastado dos filhos desde abril, quando foi ameaçado por grupos armados locais.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.