Clique e assine a partir de 9,90/mês

Covid-19: Futebol profissional não para na Nicarágua

Além de manter as escolas abertas, o ditador do país, Daniel Ortega, recentemente exonerou a ministra da Saúde

Por Da Redação - Atualizado em 2 Apr 2020, 15h56 - Publicado em 2 Apr 2020, 15h13

Em meio ao avanço da pandemia da Covid-19, que já atingiu mais de 170 países e territórios infectando quase 1 milhão de pessoas e matando 50.000, o governo da Nicarágua, encabeçado pelo autoritário Daniel Ortega, não tem adotado as medidas recomendadas. De fato, as escolas estão abertas e o campeonato profissional de futebol continua a ser disputado no país centro-americano. O governo de Ortega reportou à Organização Mundial da Saúde (OMS) apenas quatro casos do novo coronavírus e uma única morte.

“Em 25 de março, 165 países haviam fechado escolas para impedir a expansão da Covid-19. Na Nicarágua, os centros públicos e as universidades continuam a ensinar, e os alunos que as frequentam, juntamente com seus professores, correm alto risco de contágio”, alertou na quarta-feira 1 o Comitê Científico Multidisciplinário, um grupo de 14 especialistas nicaraguenses das áreas de saúde e educação.

O Comitê, que foi fundado em março como reação à pandemia do novo coronavírus, não tem relação com o governo de Ortega e conta com o apoio da Coalizão Nacional, um grupo de sete partidos da oposição.

“A única ação responsável atualmente é fechar escolas e universidades imediatamente para obter uma redução de 25% na taxa de crescimento de novos casos”, ressaltou o Comitê.

Continua após a publicidade

Desde domingo 29, a Nicarágua, que conta com 6 milhões de habitantes, não registra um paciente com a doença. Ortega, que está no cargo de presidente da Nicarágua desde 2007, exonerou na quarta-feira a ministra da Saúde, Carolina Dávila, segundo a agência de notícias turca Anadolu Agency. Dora Matia Téllez, também ex-ministra da Saúde e crítica de Ortega, alega que a exoneração se deu por Dávila ter “desacatado ou não cumprido alguma ordem”.

Embora o governo alegue que não há motivos para se cancelar as aulas, os netos de Ortega não estão indo à escola, reporta o portal de notícias argentino Infobae.

Futebol

Na Nicarágua, tampouco foram suspensos as partidas do campeonato profissional de futebol, a Liga Primera, que é disputada entre dez times. Com mais duas rodadas a serem jogadas, a fase de pontos corridos do campeonato está previsto para acabar na quarta-feira, 8. A serem disputadas depois e em jogos de ida e volta, as semifinais e a final ainda não estão agendadas.

“Nossos jogadores não querem continuar jogando. Queremos suspender o torneio, mas todos os clubes votaram, e a maioria quer continuar”, disse Sergio Salazar, dirigente do Diriangén. O clube, o mais vitorioso da Liga Primera com 27 títulos, lidera a atual temporada com três pontos de vantagem sobre o vice, o Manágua.

Continua após a publicidade

A Liga Primera não é o único campeonato profissional de futebol que ainda não foi cancelado. A situação é a mesma do outro lado do Atlântico, a mais de 10.000 quilômetros da Nicarágua, na Bielorrússia, um país do leste europeu que, assim como a Nicarágua, é uma ditadura. O ditador bielorrusso, Alexander Lukashenko, no poder desde 1994, recomendou à população a beber vodka para se curar da Covid-19.

A Premier League bielorrusa, como é conhecido o torneo, envolve 16 times. Apenas duas das 10 rodadas da temporada de 2019-2020 foram disputadas até agora. O campeonato está previsto para se estender até final de maio pelo menos.

Publicidade