Clique e assine a partir de 8,90/mês

Coronavírus, saúde e mulher como vice: o debate entre Biden e Sanders

Pré-candidatos do Partido Democrata realizaram debate focado na pandemia de COVID-19; novas prévias acontecem nesta terça, 17

Por Da Redação - Atualizado em 16 mar 2020, 03h26 - Publicado em 16 mar 2020, 03h08

Em debate realizado na noite deste domingo, 15, em Washington, sem público, os pré-candidatos democratas à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden e Bernie Sanders, focaram na discussão sobre o novo coronavírus e também na relação dos EUA com outros países.

O senador por Vermont, Bernie Sanders, defensor de um sistema público de saúde amplo, ressaltou que o atual modelo norte-americano não é capaz de suprir todas as necessidades do país.

“O nosso sistema não é preparado para providenciar cuidados de saúde. Em um bom ano, sem a epidemia, nós estamos perdendo perto de 60 mil pessoas que morrem todos os anos porque não conseguem ser atendidos por um médico à tempo”, disse.

“Em meio a esta epidemia, há pessoas na indústria farmacêutica pensando ‘uau, esta é uma ótima oportunidade para ganhar uma fortuna’”, completou Sanders.

Sobre a COVID-19, o ex-vice-presidente Joe Biden comparou a doença como uma guerra. “Isso [novo coronavírus] é como uma guerra e em uma guerra você faz tudo que for necessário para tomar conta do seu povo”, afirmou. “Tudo o que você precisa para lidar com a crise será de graça”, acrescentou Biden.

Ainda no âmbito da nova doença respiratória, os pré-candidatos democratas defenderam que imigrantes ilegais sejam atendidos caso venham a ser detectados com o coronavírus.

“Qualquer um que apareça para ser testado para coronavírus ou pegue coronavírus e seja tratado será considerado inofensivo”, ponderou Biden. “Nós temos que garantir que qualquer um se sinta confortável para buscar os cuidados de saúde de que necessite. Esse deve ser o principal geral acima e abaixo do coronavírus”, salientou Bernie Sanders.

Continua após a publicidade

Relações internacionais

No momento em que o debate focou nas relações dos EUA com outros países, Joe Biden lembrou que Sanders já elogiou regimes tidos como autoritários por ele, como China, Cuba e Venezuela. O senador se defendeu dizendo que é o candidato que mais se aproxima da diversidade da população norte-americana. “Eu penso que o imperativo é que nós derrotemos Trump. Eu acredito que a nossa campanha de bases birraciais e multigeracionais é o jeito de fazer isso”, disse.

Vice mulheres

Joe Biden e Bernie Sanders, durante o debate, também se comprometeram a nomear mulheres para a vice-presidência. “Há várias mulheres qualificadas para ser presidente amanhã. Eu escolheria uma mulher para ser minha vice-presidente”, revelou Biden.

“Para todas as possibilidades, eu irei. Para mim, não é apenas nomear uma mulher. É garantir que tenhamos uma mulher progressista e que haja mulheres progressistas por aí. Portanto, minha tendência muito forte é seguir nessa direção”, completou Sanders.

Este foi o primeiro debate entre os pré-candidatos septuagenários desde que outros vários postulantes desistiram da disputa. Até o momento, o ex-vice-presidente lidera a corrida com 881 delegados, ante 725 do senador. Para ser escolhido candidato democrata, são necessários 1.991 delegados.

Nesta terça-feira, 17, acontecerão as primárias em mais quatro estados, a saber: Arizona, Flórida, Illinois e Ohio. Estarão em jogo ao todo mais 577 delegados que podem deixar Biden ainda mais próximo da indicação ou embolar a disputa, caso Sanders saia vencedor.

Continua após a publicidade
Publicidade