Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Coronavírus: Reino Unido deve manter confinamento até final de maio

Diante do aumento do número de mortes, o Reino Unido se prepara para um longo período de isolamento

Por Da Redação Atualizado em 4 abr 2020, 20h44 - Publicado em 4 abr 2020, 18h55

Em um esforço redobrado para conter o avanço do número de casos de coronavírus e evitar ainda mais mortes, alguns países da Europa já anunciam que a quarentena pode ser maior do que a esperada. Neste sábado, 4, o governo do Reino Unido informou que as regras de isolamento em vigor no país devem se estender até o final de maio. Nas últimas 24 horas foram registradas 708 mortes no país. O maior aumento diário até agora, resultando em 4.313 óbitos no total.

Nas últimas semanas, o Reino Unido adotou um isolamento generalizado, com o fechamento de bares, restaurantes e quase todas as lojas. A determinação é que as pessoas fiquem em casa, a menos que seja absolutamente imprescindível sair. O país já tem quase 42.000 casos confirmados. As normas restritivas, no entanto, têm gerado críticas.

Alguns especialistas começam a questionar se o isolamento rigoroso pode afetar tanto a economia a ponto de custar mais vidas a longo prazo. “Queremos mudar para uma situação em que, pelo menos até o final de maio, possamos substituir algumas medidas menos intensivas, mas baseadas em tecnologia e testes, pelo bloqueio completo que temos agora”, disse Neil Ferguson, professor de biologia matemática no Imperial College London, disse à BBC Radio.

O país segue o exemplo da Itália que na sexta-feira, 3, decidiu prorrogar o confinamento, pelo menos, até 2 de maio. Inicialmente ele estava previsto para durar até o próximo dia 13. Embora os números diários estejam diminuindo, o país ainda registra o maior número de mortos pelo novo coronavírus em todo o mundo, com 13.915 óbitos, além de 115.242 casos confirmados.

Mesmo com medidas cada vez mais rigorosas, a Itália ainda se mostra pessimista diante do grande número de vítimas da nova doença. “Infelizmente não acredito que essa situação tenha passado até 1º de maio, precisamos ser extremamente rigorosos”, disse Borrelli em entrevista à rádio RAI 1. Para ele, os italianos terão que ficar em casa “por muitas semanas” ainda. O isolamento social está em vigor na Itália desde 9 de março. Somente serviços essenciais como supermercados e farmácias continuam funcionando, e aulas e eventos foram cancelados.

Com Agência Brasil

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)