Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Coreia do Norte ameaça “afundar” Japão e reduzir EUA a “cinzas”

Pyongyang também pediu a dissolução do Conselho de Segurança da ONU, que chamou de uma "ferramenta do mal"

A Coreia do Norte ameaçou nesta quinta-feira usar armas nucleares para “afundar” o Japão e reduzir os Estados Unidos a “cinzas e escuridão”. A intimidação é uma resposta a recente aprovação de um novo pacote de sanções pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

As sanções foram aprovadas por unanimidade após o regime norte-coreano ter realizado seu sexto e maior teste nuclear, no dia 3. As novas ameaças de Pyongyang se estenderam aos japoneses por seu apoio “ardente” aos americanos.

“O grupo de traidores pró Estados Unidos deve ser severamente castigado e liquidado com um ataque para que não possa sobreviver. Só então a nação coreana poderá prosperar em um território unificado”, disse um porta-voz do Comitê norte-coreano para a Paz da Ásia-Pacífico em um comunicado divulgado durante a noite pela agência estatal de notícias KCNA.

Essa foi a primeira vez que Pyongyang dirigiu suas ameaças explicitamente para o Japão desde que disparou um míssil balístico de médio alcance sobre a ilha de Hokkaido, no final do mês passado. O Comitê, que lida com os laços externos e propaganda da Coreia do Norte, também pediu a dissolução do Conselho de Segurança, que chamou de uma “ferramenta do mal”.

Reações

Tóquio qualificou as ameaças de “extremadamente provocativas e inescusáveis”, e afirmou que a atitude do país vizinho “aumenta notavelmente a tensão” e “levará a um isolamento ainda maior”, em palavras do ministro porta-voz do Executivo, Yoshihide Suga. O Governo nipônico avisou que pretende “continuar aplicando a máxima pressão” sobre a Coreia do Norte e que manterá “vigilância total” sobre Pyongyang em colaboração com os Estados Unidos.

O secretário de Defesa americano, Jim Mattis, afirmou que seu país é uma potência nuclear madura e não ficará intimidado pelas ameaças norte-coreanas. Em sua breve declaração, a autoridade do governo do presidente Donald Trump sinalizou que um potencial ataque nuclear contra os Estados Unidos seria suicídio. “Não deve haver nenhuma dúvida”, disse ele a repórteres. “Nem tentem isso. Não funcionará.”

(com agência internacional)