Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

China e UE reafirmam compromisso com acordo do clima de Paris

Países se comprometem com projeto de transferir 100 bilhões de dólares por ano a nações pobres para ajudá-las na adaptação às mudanças climáticas

Por Da Redação
16 jul 2018, 18h18

A China e a União Europeia (UE) reafirmaram nesta segunda-feira (16) seu compromisso com o acordo de Paris para minimizar os efeitos da mudança climática e pediram a outros signatários que façam o mesmo, sob o argumento de que as ações contra o aumento da temperatura global se tornaram mais importantes do que nunca.

Depois da decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de retirar seu país do acordo, no ano passado, a China e a UE emergiram como as maiores defensoras do pacto de 2015. O objetivo do acordo é evitar que a temperatura planeta aumente 2º Celsius até o final do século por meio da redução das emissões de gases do efeito estufa.

Em um comunicado conjunto divulgado hoje, Pequim e Bruxelas não chegaram a criticar os Estados Unidos diretamente, mas disseram que o acordo de Paris provou que “o multilateralismo é capaz de oferecer soluções justas e eficazes para os problemas globais mais graves de nosso tempo”.

Os dois lados disseram que continuam comprometidos com a criação de um mecanismo para transferir 100 bilhões de dólares por ano das nações mais ricas às mais pobres para ajudá-las a se adaptar às consequências das mudanças climáticas. A iniciativa é um grande ponto de discordância com Washington.

Continua após a publicidade

Eles também prometeram trabalhar estreitamente para buscar uma solução eficiente para o problema das emissões de gases estufa provenientes da aviação e do transporte de cargas, assim como pretendem estudar novas maneiras de cooperar no comércio de emissões de carbono.

Além dos Estados Unidos, a União Europeia e a China são os maiores emissores do planeta. As emissões dos primeiros, entretanto, vêm desde o período da Revolução Industrial, enquanto a chinesa tornou-se mais volumosa nos últimos 50 anos.

“O que une a dupla não é só Trump  a China e a UE entendem as oportunidades oferecidas por um mundo limpo e de clima seguro”, disse o grupo ambiental Greenpeace em um comunicado.

(Com Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.