Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Boris Johnson vence eleição britânica, segundo boca de urna

Vitória conservadora torna Brexit inevitável; resultado oficial sai na madrugada desta sexta-feira

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h33 - Publicado em 12 dez 2019, 20h17

O Partido Conservador do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, conquistou a maioria absoluta no Parlamento nas eleições desta quinta-feira, segundo pesquisa de boca de urna do instituto Ipsos/MORI para a BBC e a Sky News. Os conservadores obtiveram 368 cadeiras do total de 650. A principal força da oposição, o Partido Trabalhista de Jeremy Corbyn, sofreu uma dura derrota, limitando-se a  191 deputados. O resultado oficial sairá na madrugada de sexta, 13.

Os britânicos foram às urnas para eleições apontadas como as “mais importantes em uma geração” porque definiram o Parlamento que levará adiante o processo do Brexit, desta vez sem chances de novo recuo. A retirada do Reino Unido da União Europeia é a questão mais importante na agenda britânica e a que mais impactos trará a seus cidadãos, muitos dos quais negativos em um primeiro momento. A data da saída está marcada para 31 de janeiro de 2020.

  • No poder desde julho, porém sem maioria absoluta, Johnson apostou em eleições antecipadas em dezembro – um mês escuro, frio e pouco propício para empurrar os britânicos às urnas. O conservador foi um dos maiores entusiastas da campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia, aprovada em referendo em 2016. O tema monopoliza a vida política britânica há mais de três anos e divide profundamente a sociedade.

    Corbyn propunha negociar um novo acordo com os europeus para manter estreitas relações comerciais entre o Reino Unido e a União Europeia. O ex-sindicalista prometeu submeter o acordo a um novo referendo, junto com a possibilidade de simplesmente anular o Brexit.

    Durante todo o dia, os britânicos enfrentaram chuva e neve para ir às seções eleitorais, que permaneceram abertas até as 22h00 locais (19h de Brasília).

    (Com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade