Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Avião com 62 pessoas desaparece na Indonésia logo após decolar

Autoridades temem que Boeing 737-500 possa ter caído no mar durante trajeto doméstico entre capital Jacarta e Pontianak

Por Da Redação Atualizado em 9 jan 2021, 14h44 - Publicado em 9 jan 2021, 09h40

A companhia aérea indonésia Sriwijaya Air perdeu o contato com uma de suas aeronaves de passageiros, um Boeing 737-500, depois de sua decolagem neste sábado, 9, em Jacarta, informou o Ministério dos Transportes. As autoridades temem que o avião possa ter caído no mar.

“Enviamos nossas equipes, assim como embarcações, para a área onde há suspeita de queda do avião após perder contato” com a torre de controle, disse Bambang Suryo Aji, chefe da Agência Nacional de Busca e Resgate.

Em nota, a companhia aérea disse que 56 passageiros, incluindo 10 crianças, e seis tripulantes estavam a bordo da aeronave, que tem capacidade para 130 pessoas. Ainda não há qualquer indício que permita determinar as causas do desaparecimento.

O voo doméstico normalmente leva cerca de 90 minutos, mas o avião desapareceu dos radares logo após decolar, quando sobrevoava o mar de Java. De acordo com o site especializado FlighRadar24, a aeronave fazia o voo 182 e, em menos de um minuto, perdeu mais de 10 mil pés de altitude.

A empresa de baixo custo está investigando o que aconteceu e equipes de resgate foram ativadas.

O local para onde as equipes de resgate foram enviadas fica perto de algumas ilhas turísticas, na costa da capital indonésia.

“Tenho quatro membros da minha família no avião – minha esposa e meus três filhos”, contou Yaman Zai, que os esperava no aeroporto de Pontianak, em lágrimas.

Continua após a publicidade

“Minha esposa me enviou uma foto do bebê hoje… Como meu coração não poderia estar em pedaços?”

HISTÓRICO

Em outubro de 2018, 189 pessoas morreram quando um Boeing 737 MAX caiu no mar de Java, 12 minutos após a decolagem.

Este acidente e outro envolvendo o mesmo modelo na Etiópia, foram atribuídos a defeitos técnicos e a fabricante foi condenada esta semana a pagar multa de 2,5 bilhões de dólares por ter enganado as autoridades no processo de aprovação deste modelo.

Os 737 MAXs ficaram sem voar por 20 meses após esses dois acidentes que deixaram 346 mortos, antes de serem novamente autorizados a operar em alguns países no final de 2020.

O setor de aviação civil na Indonésia passou por várias tragédias nos últimos anos, e muitas companhias aéreas indonésias foram proibidas de operar na Europa e nos Estados Unidos no passado.

Em 2014, um avião da AirAsia conectando a cidade indonésia de Surabaya a Singapura caiu com 162 passageiros a bordo. Os investigadores concluíram que houve erro humano e problemas técnicos.

(com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade