Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Aprovação de Biden cai ainda mais entre jovens dos EUA

A popularidade de Joe Biden tem tendência de queda entre pessoas de 18 a 29 anos desde o ano passado, com as maiores críticas direcionadas à economia

Por Amanda Péchy 25 abr 2022, 13h37

Uma pesquisa de opinião do Instituto de Política de Harvard, publicada nesta segunda-feira, 25, mostra que apenas 41% dos jovens dos Estados Unidos aprovam o desempenho do presidente Joe Biden.

O dado revela uma tendência de desaprovação crescente do líder democrata entre pessoas de 18 a 29 anos: no segundo semestre do ano passado, 46% deste grupo aprovava o trabalho de Biden, enquanto no primeiro semestre a parcela era de 59%.

Para efeito de comparação, uma pesquisa do mesmo instituto mostrou que 25% dos jovens americanos aprovavam o então presidente republicano Donald Trump em 2018, após dois anos no cargo. No entanto, há 12 anos, o democrata Barack Obama tinha 56% de aprovação no meio de seu segundo mandato.

Das pessoas entre 19 e 29 anos que apoiaram o candidato democrata nas eleições de 2020, 69% ainda aprovam seu desempenho na Casa Branca. Os jovens valorizam a forma com que Biden lidou com a pandemia de coronavírus (52%), assim como sua postura em relação à guerra na Ucrânia, ainda que em menor grau (46%).

O setor mais criticado são as políticas econômicas, aplaudidas por apenas 34% dos jovens. Tópicos relacionados à economia, como inflação e custo de vida, são a maior preocupação para 29% dos jovens americanos. Outros 18% mencionam questões de política externa ou segurança nacional, e 8% citam questões ambientais. A Covid-19 é a principal preocupação apenas para 4% dos entrevistados.

A pesquisa entrevistou 2.024 adultos americanos com idades entre 18 e 29 anos, e foi realizada de 15 a 30 de março. A margem de erro para a amostra total é de 2,89 pontos percentuais para baixo ou para cima.

“[Os jovens] veem o atual sistema político como ineficaz; acham que o presidente coloca os interesses da elite acima dos seus; consomem menos informações sobre política; são mais propensos a estar no Twitter; têm menos esperança sobre o futuro; são mais liberais; e sua principal causa é o fim das dívidas estudantis para todos”, escreve John Della Volpe, diretor de pesquisas do Instituto de Política de Harvard, em comunicado.

Continua após a publicidade

Em março deste ano, mais de 700.000 dos 43 milhões de estudantes que fizeram empréstimos do governo tiveram suas dívidas perdoadas, totalizando mais de US$ 17 bilhões quitados. Segundo um anúncio de Biden na semana passada, 3,6 milhões de pessoas na mesma situação serão beneficiadas com a redução de pagamentos mensais com base em sua renda e tamanho da família.

+ Como o plano (astronômico) de gastos de Biden pode colocar os EUA em risco

O desencanto dos jovens americanos com a política não se limita às opiniões sobre Biden. Apenas 40% aprovam o desempenho dos democratas no Congresso, uma queda em relação aos 52% em março de 2021. (Enquanto isso, 31% elogiam o desempenho dos republicanos no Congresso, uma mudança pequena em relação aos 28% de março passado.)

Em comparação com o meio de mandato do ex-presidente Trump, os jovens estão mais pessimistas com a eficácia do sistema político. Uma maioria de 56% concorda que “a política hoje não é mais capaz de enfrentar os desafios do nosso país”, contra 45% em 2018.

Atualmente, 36% concorda que “o envolvimento político raramente tem resultados tangíveis”. Talvez por isso, só 36% das pessoas com menos de 30 anos dizem que planejam votar nas eleições para o legislativo no fim deste ano.

Muitos americanos em grupos minoritários também se sentem ameaçados por causa de sua identidade, segundo a pesquisa de Harvard. Pouco menos da metade dos “jovens que identificam LGBTQ”, 45%, dizem sentir que as pessoas com sua orientação sexual estão sendo muito atacadas. Cerca de 59% dos jovens negros concordam fortemente que “estão sob ataque”, assim como 43% dos jovens asiáticos e das ilhas do Pacífico, 37% dos jovens hispânicos e 19% dos jovens brancos.

Apenas os hispano-americanos sentiram redução do nível de ameaça desde 2017.

Enquanto isso, 46% dos jovens republicanos dizem acreditar que aqueles que compartilham suas opiniões políticas estão sendo muito atacados, em comparação com 24% dos democratas.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)