Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aluno de 14 anos é detido nos EUA suspeito de matar professora

O corpo da professora de matemática Colleen Ritzer foi encontrado em um bosque atrás da escola onde trabalhava

Um adolescente de 14 anos foi detido em Danvers, subúrbio de Boston, após a polícia ter encontrado o corpo de uma professora num bosque atrás da escola onde ela trabalhava, disseram autoridades nesta quarta-feira. O corpo de Colleen Ritzer, de 24 anos, professora da Danvers High School, foi achado na noite de ontem após os policiais identificarem sangue em um banheiro do segundo andar do colégio. A escola é a única de ensino médio do município de pouco mais de 26.000 pessoas.

A polícia iniciou a investigação na noite de terça-feira depois de ter recebido ligações informando que um aluno da escola não havia voltado para casa, e uma professora também estava desaparecida. “Aparentemente a professora foi vítima de homicídio”, disse o promotor distrital do condado de Essex, Jonathan Blodgett. “Esta é uma tragédia terrível”, lamentou.Blodgett, O promotor não quis informar a identidade do suspeito sob custódia pelo fato de ele ser menor.

Leia também

Ataque em escola nos EUA deixa dois mortos

Após ser detido, o estudante se declarou inocente da acusação de assassinato e foi detido sem direito a fiança, de acordo com o gabinete do oficial de justiça.

Ele foi acusado como um adulto, o que pode implicar uma pena de prisão mais longa em uma penitenciária para adultos, se ele for considerado culpado pelo crime.

Segundo reportagem do Huffington Post, a professora Ritzer lecionava matemática e tinha uma conta no Twitter por onde passava tarefas e se comunicava com seus alunos. Ela era considerada uma professora muito querida pelos estudantes.

Ritzer é a segunda professora assassinada nesta semana nos EUA. Na segunda-feira, em Sparks, estado de Nevada, o professor Mike Landsberry foi morto a tiros. Investigações apontam como suspeito um aluno de identidade não revelada. O estudante teria se suicidado logo após abrir fogo contra o professor.

(Com agência Reuters)