Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Acidente com helicópteros mata 13 militares franceses no Mali

Aeronaves colidiram no ar; incidente aconteceu durante operação contra terroristas no país

Por Da Redação Atualizado em 26 nov 2019, 10h15 - Publicado em 26 nov 2019, 10h04

A colisão acidental entre dois helicópteros deixou 13 militares franceses da força antiterrorista mortos no Mali nesta terça-feira, 26. O incidente aconteceu durante uma operação de combate a jihadistas no centro do país.

A força francesa Barkhane, com 4.500 homens, enfrenta insurgências islâmicas na região do Sahel, onde a violência de militantes ligados à Al Qaeda e ao Estado Islâmico em uma região esparsamente povoada se proliferou nos últimos anos. Este foi o incidente com a maior perda de tropas francesas em combate na região desde que o país iniciou uma intervenção em 2013.

“O presidente anuncia com profunda tristeza a morte de 13 soldados franceses no Mali na noite de 25 de novembro, em um acidente entre dois helicópteros, durante uma missão de combate contra jihadistas”, disse o gabinete da presidência em nota. Entre os mortos está o filho do senador Jean-Marie Bockel, do partido Esquerda Moderna.

As circunstâncias do acidente não ficaram claras de imediato. A ministra francesa das Forças Armadas, Florence Parly, disse que o incidente ocorreu quando os helicópteros estavam no ar.

O Ministério da Defesa disse que os helicópteros envolvidos eram um Tiger e um Cougar e que a operação ocorreu no centro do Mali. “Estes estavam apoiando comandos da força Barkhane que estavam combatendo terroristas armados”, disse o órgão em um comunicado.

A França, ex-potência colonial da região, interveio no Mali seis anos atrás para expulsar militantes islâmicos que haviam ocupado o norte e ainda usam parcelas do país como plataformas de lançamento de ataques na região predominantemente desértica.

Desde então, Paris mantém tropas na região como parte das operações de contraterrorismo Barkhane, e potências ocidentais vêm proporcionando financiamento a uma força regional composta por soldados do Mali, Níger, Burkina Faso, Chade e Mauritânia.

(Com Reuters e AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês