Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vettel comemora quebra do jejum de poles na Fórmula 1

Além de sair na frente no GP da Rússia, alemão viu o seu principal rival no campeonato, Lewis Hamilton, fazer apenas o quarto tempo

O alemão Sebastian Vettel comemorou neste sábado o fim do jejum de pole-position na Fórmula 1. Ao cravar a melhor volta no treino deste sábado para o GP da Rússia, o piloto confirmou o ótimo momento da Ferrari e também encerrou um período que vinha desde setembro de 2015 sem largar na primeira colocação.

Ainda viu o seu principal concorrente na briga pela liderança do campeonato, o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, fazer apenas o quarto melhor tempo. A segunda colocação ficou com o companheiro de Ferrari, o finlandês Kimi Raikkonen e a terceira posição com o também finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes.

“Foi um grande trabalho da equipe e um grande resultado ter os dois carros na primeira fila. Mas é apenas uma parte do trabalho. O principal, obviamente, é amanhã (domingo). De qualquer forma, demos um passo importante. Vamos trabalhar para evoluir um pouco mais. Tenho certeza que todos estão muito felizes e muito orgulhosos. Vamos aproveitar o momento e daqui algumas horas voltamos a focar apenas na corrida”, comentou Sebastian Vettel.

O alemão vinha fazendo um treino discreto até a reta final do Q3 neste sábado. Somente na parte final do treino é que conseguiu ser o mais rápido e cravou o melhor tempo com 1min33s194, seguido por Kimi Raikkonen, que marcou 1min33s253. Desde o GP de Cingapura, em setembro de 2015, que Sebastian Vettel não era o mais rápido de um classificatório. Foram 30 provas sem ele na primeira colocação do grid.

“Tive um bom começo de sessão no classificatório desta tarde. Fui me sentindo muito confortável. Mas depois perdi um pouco de ritmo. Minha última tentativa no Q2 não foi muito boa. Minha primeira tentativa no Q3 também não foi muito boa, mas no final consegui fazer uma boa volta. No último setor, sabia que seria melhor, mas assim que acabou a volta fiquei na dúvida se estava em primeiro ou não”, analisou o alemão.

O companheiro de Sebastian Vettel, Kimi Raikkonen, também demonstrou que está vivo na disputa da temporada. Na briga entre Ferrari e Mercedes, o finlandês esteve sempre como o quarto mais rápido. Por isso, teve uma reunião com os diretores da aqui durante a semana para tentar melhorar. A conversa parece ter surtido efeito e por pouco Raikkonen não garantiu a pole.

“Obviamente o objetivo é ficar na frente. Mas a sentimento é melhor neste final de semana. Enfrentei um pouco de trânsito na minha última tentativa e não consegui colocar os pneus para funcionar tão bem quanto na primeira corrida. Tentei me recuperar na última curva, mas não foi o suficiente”, comentou o finlandês.

Ao garantir o segundo lugar, Kimi Raikkonen também ajudou a Ferrari a acabar com outro tabu. Desde 2008 que a escuderia não colocava seus dois carros na primeira fila. Na última vez, quem cravou a pole foi o próprio Raikkonen, com o brasileiro Felipe Massa em segundo lugar.

O GP da Rússia acontece neste domingo, às 9 horas (de Brasília). Sebastian Vettel está na liderança do Mundial, com 68 pontos, e Hamilton ocupa a segunda colocação, com 61.

(Com Estadão Conteúdo)