Clique e assine a partir de 9,90/mês

Torcedor foi morto a golpes de espeto de churrasco

Laudo divulgado pelo Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro revelou que o botafoguense morreu atingido várias vezes por objeto "perfurocontundente"

Por da Redação - Atualizado em 19 fev 2017, 16h59 - Publicado em 19 fev 2017, 16h45

Diego da Silva dos Santos, de 28 anos, torcedor do Botafogo, que morreu no domingo, nos arredores do Engenhão, não foi baleado, como disseram os policiais que prestaram os primeiros socorros. Em entrevista ao programa Esporte Espetacular, da TV Globo, o delegado Fabio Cardoso revelou que um laudo do IML aponta que Diego foi atingido “por objeto perfurocontundente”. Segundo Cardoso, trata-se de um espeto de churrasco, encontrado nas imediações do Engenhão. O crime aconteceu antes da partida entre Botafogo e Flamengo.

Pouco antes das 18h, horário marcado para o início do jogo, um carro passou próximo à Ala Norte do Engenhão, onde se concentravam torcedores do Botafogo, e houve disparos com arma de fogo. Por isso, acreditava-se que Diego tivesse sido alvejado. A briga entre facções de torcidas organizadas deixou mais seis torcedores feridos — dois deles baleados. Diego aparece em fotos com integrantes da torcida Fúria Jovem, mas a família nega que ele tivesse relação com as organizadas.

Por causa da briga, a Justiça do Rio decidiu, em caráter liminar, acatar o pedido do Ministério Público e instaurar torcida única nos clássicos cariocas. A Procuradoria Geral do Estado e o Flamengo anunciaram que vão recorrer da decisão do juiz Guilherme Schilling, do Juizado Especial do Torcedor e os Grandes Eventos. Vasco e Fluminense também se manifestaram contrários à decisão. Já o Botafogo se mostrou receptivo à ideia.

No próximo sábado será disputado, ao menos, um dos jogos da semifinal, que já tem o Vasco garantido. O clube de São Januário pode ter como rival Flamengo ou Madureira, dependendo do resultado do jogo desta tarde. O presidente do Vasco, Eurico Miranda, já adiantou que seu time não entrará em campo, caso persista a decisão de torcida única. Haverá uma reunião na Federação do Rio nesta semana para discutir o problema. A princípio, o mando de campo será do clube que tiver obtido mais pontos.

Publicidade