Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Neto sueco de Garrincha assina com clube inglês

Henrik Johansson disse que gosta de pensar que há "um pouco de Garrincha" em seu jogo. O jovem de 18 anos assinou com o Brentford, da segunda divisão

Por da redação Atualizado em 11 jan 2017, 09h53 - Publicado em 11 jan 2017, 09h51

Uma escapada da concentração, em 1959, uniu o futebol brasileiro ao modesto Brentford, da Inglaterra nesta terça-feira. O atacante sueco Henrik Johansson, de 18 anos, assinou com o clube da segunda divisão inglesa, que o recebeu com status de estrela. A contratação, porém, não causaria grande repercussão, não fosse por um detalhe: Henrik é neto de um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, o brasileiro Garrincha, campeão mundial em 1958 e 1962.

Henrik é filho de Ulf Lindberg, o herdeiro sueco de Garrincha, morto em 1983 aos 50 anos. O ídolo do Botafogo e da seleção brasileira, que havia sido campeão mundial na Suécia em 1958, voltou ao país no ano seguinte durante uma excursão da equipe carioca pela Europa e, durante uma de suas tradicionais escapadas da concentração, teve uma breve noite de amor com a mãe de Ulf.

GUIA DA COPA - PELE 02
Garrincha, com Pelé, na final da Copa da Suécia Acervo Luiz Carlos Barreto/IMS/VEJA

O filho sueco de Garrincha foi adotado por outra família, mas soube desde criança a identidade de seu pai. Ulf e Garrincha jamais se encontraram, apenas se comunicaram por correspondências, mas o sueco sempre admirou a história do “anjo das pernas tortas” e herdou o amor pelo futebol.

O capítulo mais recente desta história foi a contratação de Henrik Johansson pelo Brentford. Depois de passar por testes em dezembro e impressionar os avaliadores, Henrik (ou Henke, como prefere ser chamado) assinou contrato de dois anos e meio.

O president do Brentford, Robert Bowan disse que o neto de Garrincha é “um atacante que joga pelas pontas, inteligente com a bola, rápido, direto e bom finalizador”. O parentesco do jovem com Garrincha chamou a atenção de jornais britânicos, como o The Sun. Em entrevista ao site do clube, Henke disse que não costuma pensar muito sobre o avô famoso, mas admitiu uma ponta de orgulho. “Gosto de pensar que há um pouco dele no meu jogo.”

Henke, que antes defendia o clube sueco Halmstad e passou pelas categorias de base da Suécia treinará inicialmente com a equipe B e espera chances na equipe profissional, que ocupa a 14ª colocação da Série B inglesa.

Continua após a publicidade
Publicidade