Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Especial Fla-Flu: Uma paixão centenária

‘O Fla-Flu nasceu 40 minutos antes do nada’. Na frase do escritor e cronista Nelson Rodrigues, um apaixonado pelo Fluminense, está ressaltada a importância do clássico mais famoso do futebol brasileiro que completa 100 anos em 2012. O aniversário do confronto será festejado neste domingo quando as duas equipes vão se enfrentar no Engenhão pelo Campeonato Brasileiro.

Expressão criada pelo jornalista Mário Filho em 1933, o Fla-Flu nunca foi apenas um jogo de futebol. Transformou-se em verdadeira paixão que passou a fazer parte da vida de milhares de brasileiros. Mesmo sendo um jogo entre equipes cariocas, foi ganhando conotação nacional ao longo dos anos e não existe ninguém que ignore uma partida entre rubro-negros e tricolores. O clássico bateu o recorde mundial de público de partidas entre clubes: 177.656 pagantes, na final do Campeonato Carioca de 1963, que acabou empatada sem gols e deu o título ao Flamengo.

O clássico mais famoso do futebol brasileiro nasceu quando nove jogadores titulares do Fluminense deixaram as Laranjeiras para fundar o departamento de futebol do Flamengo. O primeiro Fla-Flu aconteceu em 7 de julho de 1912 e mesmo com um time bastante desfalcado, o Fluminense venceu por 3 a 2, dando início à grande rivalidade que perdura até os dias de hoje.

Calvert marcou o primeiro gol da história do clássico e, a partir daí, o encontro entre as duas equipes ganhou uma conotação especial e, ao longo dos anos, vem provocando duelos memoráveis que se fixaram na cabeça e coração dos torcedores de todos os cantos do Brasil. O duelo serviu, também, para consagrar jogadores como Zico, pelo Flamengo, e Assis, pelo Fluminense, atacantes que brilharam em momentos decisivos do grande clássico.

Nos 100 anos de confrontos, o Flamengo leva vantagem sobre o rival. Em 390 partidas, o rubro-negro tem 139 vitórias, 128 empates e 123 derrotas, com 568 gols pró. Já os números do Fluminense ignoram dez jogos disputados pelo Torneio Início, competição disputada entre 1918 e 1965. Pelas contas tricolores, seriam 380 jogos com 119 vitórias, 134 empates e 137 derrotas, com 511 gols pró.

O Fluminense é o adversário que mais conquistou vitórias sobre o Flamengo em decisões de campeonato. Foram oito títulos obtidos no confronto com o adversário direto nos anos de 1919, 1936, 1941, 1969, 1973, 1983, 1984 e 1995. Já o time rubro-negro foi campeão estadual sobre o Fluminense nas edições de 1963,1972 e 1991. Os dois clubes somam 63 títulos estaduais e depois de longa hegemonia tricolor, o Flamengo passou a frente e hoje detém 32 taças contra 31 dos tricolores.

A maior goleada na história do clássico aconteceu em 10 de junho de 1945, pelo Torneio Municipal, com vitória do Flamengo por 7 a 0. Do lado tricolor, o resultado mais elástico foi um 5 a 1, no dia 4 de março de 1943.

Os maiores públicos:

Flamengo 0 x 0 Fluminense – 194.603 (177.656 pagantes) – Estadual – 15/12/1963

Flamengo 2 x 3 Fluminense – 120.418 (112.285 pagantes) – Estadual – 25/06/1995

Flamengo 2 x 3 Fluminense – 116.266 (103.132 pagantes) – Estadual – 16/08/1953

Flamengo 1 x 0 Fluminense – 113.840 (105.486 pagantes) – Estadual – 29/07/1962

Flamengo 5 a 3 Fluminense – 113.602 (107.500 pagantes) – Amistoso – 20/01/1999

Artilheiros do clássico:

Na longa história do clássico, alguns artilheiros entraram para a história e se tornaram imortais . Foi o que aconteceu com o atacante Assis, do Fluminense, carrasco do Flamengo nas decisões de 1983 e 1984 e Renato Gaúcho, autor do célebre gol de barriga que garantiu o título tricolor, nos acréscimos,em 1995.

Zico, o maior ídolo da história rubro-negra, deixou várias vezes sua marca no clássico. O Galinho de Quintino é o maior artilheiro da história do duelo com 19 gols e sua maior façanha foi ter marcado quatro gols na vitória do Flamengo por 4 a 1, no dia 7 de março de 1976, marca valorizada por ter sido obtida em cima da famosa Máquina Tricolor montada pelo presidente Francisco Horta.

Na sua despedida oficial com a camisa rubro-negra, no dia 2 de dezembro de 1989, em Juiz de Fora, Zico marcou um belo gol de falta para sacramentar sua história vitoriosa no clássico.

Momentos históricos:

Jogo anulado – Em jogo disputado no dia 22 de outubro de 1916, o Flamengo vencia o Fluminense por 2 a 1 quando o árbitro R. Davies marcou um pênalti contra o time das Laranjeiras desperdiçado por Rienner. Logo depois, o juiz marcou outro pênalti contra o Fluminense. Sidney cobrou e Marcos de Mendonça defendeu. O juiz mandou cobrar outra vez alegando que não havia apitado. Sidney bateu e novamente Marcos de Mendonça defendeu. O árbitro mandou cobrar de novo, alegando que jogadores do Fluminense haviam invadido a área. Foi aí que o escritor Coelho Neto e o delegado de polícia Ataliba Correia Dutra pularam a grade e correram para o campo. Os torcedores também invadiram o gramado provocando a primeira anulação de um jogo no campeonato carioca.

Fla-Flu da Lagoa – O jogo foi realizado no estádio da Gávea, no dia 23 de novembro de 1941. Os tricolores começaram melhor e fizeram logo dois gols, com Pedro Amorim e Russo. Só que, antes de terminar o primeiro tempo, Pirilo diminuiu. Na etapa complementar, Pirilo empatou a partida aos 38 minutos. A partir daí o jogo tornou-se dramático. O Flamengo pressionava e os jogadores do Fluminense passaram a jogar a bola na Lagoa Rodrigo de Freitas, que ficava ao lado das gerais da Gávea.

Para o Flamengo, somente a vitória interessava. Para o Fluminense, o empate servia. Nos minutos finais foi sempre assim, o Flamengo atacava e o Fluminense chutava a bola para a Lagoa. Quando as bolas acabavam, e o jogo ficava parado por alguns minutos, dirigentes do Flamengo conseguiram com que os remadores do clube fossem para a Lagoa recuperar as bolas e devolvê-las com rapidez ao campo de jogo. Mesmo assim os tricolores seguraram o empate e ficaram com o título.

Partida internacional – Em 2009, foi realizado o primeiro confronto entre Flamengo e Fluminense válido por uma competição internacional oficial. Os dois times se enfrentaram pela Copa Sul-americana e a partida acabou empatada sem gols. Naquele ano, o Tricolor se classificou para a decisão diante da LDU, do Equador, e acabou com o vice-campeonato.