Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Comitê Paralímpico Internacional elege presidente brasileiro

Andrew Parsons, ex-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, substituirá o britânico Philip Craven, que liderava o IPC desde 2001

Por Da redação 8 set 2017, 09h43

O brasileiro Andrew Parsons venceu eleição realizada em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, nesta sexta-feira e se tornou o presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês). Ele substituirá o britânico Philip Craven, que liderava a organização desde 2001.

Parsons foi presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) de 2009 a março de 2017 e desde 2013 era vice-presidente do IPC. Ele teve outros três adversários na eleição: o canadense Patrick Jarvis, o dinamarquês John Petersson e a chinesa Haidi Zhang.

“Estou absolutamente encantado e não sei o que dizer. Gostaria de agradecer aos membros do IPC por sua confiança. Ao longo da minha campanha, acho que expliquei o que planejo fazer como presidente do IPC e os membros entenderam e me deram o apoio. Agora é hora de arregaçar as mangas e trabalhar muito com os membros e a nova diretoria”, discursou.

Na eleição desta sexta-feira, um total de 163 membros, além do Comitê Paralímpico das Américas, tinha direito a voto. Para a definição de um vencedor, seriam necessários 82 apoios. E Parsons conseguiu 84 votos logo na primeira rodada, derrotando Zhang, com 47, Petersson, com 19, e Jarvis, com 12.

Continua após a publicidade

O brasileiro prometeu estreitar relações com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e apontou o momento difícil vivido pela comunidade esportiva, em uma referência aos recentes casos de corrupção – o último deles envolvendo suspeita de compra de votos do Rio como sede da Olimpíada e Paralimpíada de 2016. 

“Avançar a relação com o COI será a chave. Temos algumas decisões muito importantes pela frente. O esporte está em um momento difícil neste momento e temos muitas coisas em comum pelas quais temos que lutar. É fundamental que trabalhemos juntos, cooperemos e estou certo de que faremos isso”, comentou.

Parsons também exaltou o seu antecessor Craven. “Sir Philip é uma lenda, um mentor, um exemplo e um colosso absoluto, é impossível descrevê-lo apenas com palavras. Eu tenho sapatos muito grandes para calçar, mas acho que aprendi muito com ele e vou tentar prestar minha homenagem a ele seguindo seus passos”, afirmou.

Além da votação que envolveu Parsons, o IPC realizou a eleição para a vice-presidência da entidade. Em uma disputa muito acirrada, o neozelandês Duane Kale superou o dinamarquês Petersson por 81 a 79.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)