Clique e assine a partir de 9,90/mês

William Waack é acusado de racismo após vazamento de vídeo

Internautas afirmam que ele usou a expressão "coisa de preto" ao reclamar de buzinas antes de transmissão; Globo e jornalista ainda não comentaram o assunto

Por Da Redação - Atualizado em 10 Dec 2018, 09h22 - Publicado em 8 Nov 2017, 17h01

O apresentador William Waack está sendo acusado de racismo após a publicação de um vídeo nas redes sociais.

A cena parece ter sido gravada minutos antes de o apresentador do Jornal da Globo entrar no ar, em uma transmissão em frente à Casa Branca, em Washington. “Tá buzinando por que, seu m… do c…?”, diz, reclamando de uma buzina que soa na rua. Em seguida, ele balbucia ao convidado, o comentarista Paulo Sotero, que está ao seu lado: “Você é um, não vou nem falar, eu sei quem é…” E depois continua com um trecho em que parece dizer: “É preto, é coisa de preto”.

A reportagem de VEJA telefonou duas vezes para o celular do jornalista, a fim de confirmar o conteúdo do diálogo. Na primeira, quem atendeu (não foi possível identificar se era mesmo Waack) disse que quem responderia seria a Central Globo de Comunicação. Na segunda, após atender o telefone, a ligação foi encerrada em poucos segundos.

Procurada, a Globo ainda não respondeu.

Continua após a publicidade

Abaixo, o vídeo, que foi publicado nas redes sociais:

https://www.youtube.com/watch?v=VdTDEkZuQO8

Waack recebeu Paulo Sotero para comentar o resultado das eleições americanas, no ano passado, que terminou com a eleição de Donald Trump. Sotero é diretor do Brazil Institute no Woodrow Wilson International Center for Scholars, em Washington.

Publicidade