Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nova testemunha aceita falar e julgamento de Harvey Weinstein é adiado

O produtor seria julgado em setembro, mas com a entrada de uma terceira mulher que o acusa, a data foi alterada para janeiro de 2020

O produtor de cinema Harvey Weinstein, denunciado por mais de oitenta mulheres por agressões sexuais ao longo de vários anos, teve o seu julgamento, que deveria começar no início de setembro, adiado para 6 de janeiro de 2020.

A mudança acontece depois de uma terceira pessoa aceitar testemunhar contra ele, além das duas mulheres que já o acusam formalmente. A advogada Gloria Allred confirmou que a promotoria pediu a sua cliente, Annabella Sciorra, atriz famosa pelo filme A Mão que Balança o Berço (1992), que fosse testemunha no julgamento de Weinstein.

Annabella acusou o produtor, em outubro de 2017, em um artigo da revista The New Yorker, de tê-la estuprado em 1993, na casa da atriz em Manhattan.

Na segunda-feira 26, Weinstein mais uma vez se declarou inocente diante da nova acusação apresentada pelo promotor de Manhattan durante uma audiência de 15 minutos no tribunal do estado de Nova York.

O juiz James Burke estimou que o julgamento deva durar cerca de seis semanas. Se for considerado culpado, Weinstein pode ser condenado a uma pena máxima de prisão perpétua.

(Com Agência France-Presse)