Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dez anos da morte de Michael Jackson: homenagens e polêmicas

Cantor é celebrado por fãs ao redor do mundo poucos meses depois de um documentário explosivo trazer à tona acusações de abuso sexual contra o músico

Os dez anos da morte de Michael Jackson, neste 25 de junho de 2019, chegam provocando sentimentos diversos mundo afora. O cantor, morto aos 50 anos por causa de uma overdose de anestésicos e sedativos, recebe homenagens de fãs em eventos programados durante o dia inteiro em lugares como a Calçada da Fama de Hollywood, onde o chamado rei do pop tem uma estrela, e o cemitério onde ele está enterrado, na Califórnia. Ao mesmo tempo, foi justamente neste ano, por causa do lançamento do documentário Deixando Neverland, em janeiro, que a imagem do cantor voltou a ser arranhada por acusações de abuso sexual de crianças.

A estrela de Jackson na Calçada da Fama de Hollywood continua atraindo uma multidão constante de turistas que fazem selfies, enquanto as lojas de suvenires próximas, os artistas de rua e os estúdios de tatuagens afirmam continuar fazendo bons negócios com a figura de Jackson. Do outro lado da rua, no Museu Ripley, uma estátua do cantor está estrategicamente colocada para atrair os turistas. Funcionários do Madame Tussauds também dizem que a estátua de cera de Jackson continua sendo uma grande atração.

Atores cantam no 10º aniversário da morte de Michael Jackson no monumento em sua homenagem em Promenadeplatz. Os criadores do musical de Jackson ‘Beat it’ convidaram amigos e companheiros para o Bayerischer Hof, onde o Rei do Pop viveu quando estava em Munique – 24/06/2019

Atores cantam no 10º aniversário da morte de Michael Jackson no monumento em sua homenagem em Promenadeplatz. Os criadores do musical de Jackson ‘Beat it’ convidaram amigos e companheiros para o Bayerischer Hof, onde o Rei do Pop viveu quando estava em Munique – 24/06/2019 (Tobias Hase/Getty Images)

Tributo de flashmob a Michael Jackson no 10º aniversário de sua morte na estação de Principe Pio, em Madri – 25/06/2019

Tributo de flashmob a Michael Jackson no 10º aniversário de sua morte na estação de Principe Pio, em Madri – 25/06/2019 (Borja B. Hojas/Getty Images)

Fãs farão nesta terça-feira um MJ Innocent Love Rally (reunião de amor MJ inocente, em tradução livre) na Calçada da Fama. Outros eventos incluem um “baile de zumbis” em Venice Beach e exibição de filmes de homenagem feitos por admiradores. Há também uma campanha para doação de dinheiro para a cerimônia anual de colocação de rosas no túmulo de Jackson, no Forest Lawn Memorial-Park, em Los Angeles. Os organizadores da cerimônia comentaram no Twitter que este ano arrecadaram dinheiro para a compra de 18.000 rosas, um recorde.

Desde 2013, Jackson lidera o ranking da revista Forbes de celebridades que mais lucraram após a morte. No ano passado, por exemplo, a arrecadação foi de 400 milhões de dólares – grande parte desse valor proveniente da venda da parte que era do cantor na editora musical EMI Music Publishing à Sony.

Imagem arranhada

As homenagens a Jackson nos dez anos de sua morte, no entanto, são mais tímidas do que o programado até pouco tempo atrás. Foi em janeiro de 2019 que a HBO lançou Deixando Neverland, um documentário com os depoimentos de dois homens que afirmam terem sofrido abuso sexual do cantor quando eram crianças. Segundo contam Wade Robson e James Safechuck, o músico se aproveitava da fama para se aproximar de crianças e de suas famílias. Criando um forte vínculo com os meninos, ele os atraía para o rancho Neverland, na Califórnia, onde ocorriam os abusos.

Não foi a primeira vez que Jackson foi acusado de abuso. Em 1993 veio a primeira acusação, do pai de um outro garoto. O cantor fechou acordo de 23 milhões de dólares e o processo se encerrou. Em 2003, uma nova ação, movida por um quarto jovem, chegou a levar o músico à prisão e a julgamento, dois anos depois. Ele, porém, foi absolvido.

Apesar de as acusações mostradas no documentário não serem novas, portanto, elas repercutiram no mundo todo e levaram empresas a rever a maneira como tratavam o cantor. Rádios de países como Austrália e Canadá deixaram de tocar suas músicas, por exemplo, e homenagens preparadas para os dez anos de sua morte foram deixadas de lado. Segundo a revista Variety, ao menos três projetos de programas de televisão que seriam lançados neste ano foram abandonados após a exibição de Deixando Neverland.

A família e os administradores do espólio do cantor entrou com processo no valor de 100 milhões de dólares contra a HBO por causa do documentário. E neste aniversário de morte, se manteve distante da polêmica. Nota oficial da família de Jackson não faz qualquer referência às acusações e exalta o cantor como “um artista talentoso e um extraordinário humanitário”.

Michael Jackson com James Safechuck, que acusou o cantor de abuso sexual

Michael Jackson com James Safechuck, que acusou o cantor de abuso sexual (./.)

(Com AFP)