Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dicas de quem tirou nota máxima na redação do Enem

Ter sido um bom aluno de português no ensino médio não é determinante; muita leitura e treino ajudam no bom desempenho

Prestar o exame antes como treineiro, ler sobre assuntos diversos diariamente, escrever dissertações semanalmente. Estas foram algumas das práticas em comum entre os estudantes que conseguiram um feito raro: tirar a nota máxima na redação do Enem.

“O bom desempenho na redação é fruto de muito treino”, opina Caio Koga, de 21 anos, que conseguiu os 1.000 pontos em 2015, mas havia prestado a prova nos três anos anteriores também.

Atualmente aluno de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ele fez cursinho pré-vestibular no Anglo, e, durante seis meses, frequentou também aulas específicas de redação. “Aprendi técnicas de introdução, desenvolvimento e conclusão que tentava aplicar semanalmente nas redações que escrevia”, conta ele, que acredita que ser coeso é o mais difícil, enquanto obedecer à norma-padrão de escrita do português é o mais fácil entre os critérios avaliados pelos professores corretores.

Para Marina Amorim, de 19 anos, que também tirou nota máxima em 2015, compreender o tema da redação é simples, mais complicado é propor uma solução para o problema social apresentado. “Essa é a parte mais complexa, pois deve estar articulada com o restante do texto. Conseguir articular a argumentação, a solução e o detalhamento é, na minha opinião, o mais difícil do texto.”

E não tem segredo, para construir a argumentação, é preciso ter repertório, que vem de leitura de jornais, blogs e até páginas do Facebook, contam os estudantes.

Marina, que fez colégio e cursinho Poliedro e hoje estuda medicina na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), comenta que, além de produzir pelo menos uma redação por semana, buscou treinar o tempo, tentando terminar o texto sempre, no máximo, em uma hora.

O fato de um aluno ter apresentado ou não facilidade nas aulas de português e redação do ensino médio, não é fator determinante. “Nunca fui muito bem em redação. Minhas notas no ensino médio giravam em torno de 6 a 7, sabia que precisava aprimorar se eu quisesse ser aprovado”, diz Caio. “Nos dois primeiros anos do colégio, eu tirava notas altas. Quando cheguei ao terceiro ano, vi que os vestibulares eram mais rigorosos do que eu estava acostumada, então busquei melhorar”, explica Marina.

Os dois estudantes concordam que manter a calma na hora é essencial para ser bem-sucedido na redação e no restante do Enem. “Não se desespere: todos os candidatos sentem dificuldade para terminar a prova. Leia atentamente as questões. Busque fazer primeiro aquilo que você domina melhor para garantir pontos”, ensina ela.

Ele lembra que organização pode fazer a diferença: “Eu usava uma das folhas separadas que eles davam em matemática para escrever todas as minhas ideias e fazer o planejamento da redação, selecionar as melhores para colocar no texto. Esse processo de brainstorming me ajudou muito”.