Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Um guardião da cultura

'Civilisations' é uma reverência ao historiador inglês Kenneth Clark, que em 1969 escreveu e apresentou documentário que inspirou a nova série da BBC

Por Da Redação
Atualizado em 25 jun 2019, 17h25 - Publicado em 21 jun 2019, 07h00

Em 1970, um ano após o lançamento de Civilisation, Kenneth Clark (1903-1983) foi homenageado em Washington. O sucesso da série não foi menor na televisão americana do que havia sido na Inglaterra: a National Gallery estava cheia de gente para ver esse historiador da arte, diretor de museu, professor universitário, escritor e apresentador britânico, com seu ar aristocrático. Impressionado com o impacto que a série tinha causado naquelas pessoas, Clark contou mais tarde que mal conseguiu conter as lágrimas, pois percebera como o público esperava respostas para perguntas muito cruciais — sobre o sentido da arte e da cultura em tempos de incerteza. Clark sentia-se um impostor por não ter essas respostas. Mas ele era tudo, menos um impostor: filho único de uma família abastada, foi o mais jovem diretor do Ashmolean Museum (28 anos) e da National Gallery de Londres (30 anos), realizando um espetacular trabalho de proteção do acervo durante a II Guerra, período em que ainda apoiou a produção de artistas como Henry Moore. Abandonou a carreira em Oxford para ser o primeiro diretor da ITV, pioneira rede de televisão comercial na Inglaterra. Foi quando a BBC 2, então dirigida por David Attenborough, decidiu fazer sua estreia na transmissão em cores que a fama de Clark chegou a outro patamar: Civilisation, o ambicioso projeto de treze episódios cobrindo mais de 1 000 anos de história, com ênfase na arte, foi um triunfo de beleza — e popularidade: em toda a Inglaterra, faziam-se festas para ver o programa. Clark foi homenageado com uma exposição na Tate Britain em 2014 e ganhou uma excelente biografia assinada por James Stourton em 2016, mas é a produção de Civilisations, o novo documentário da BBC, que talvez lhe preste a maior reverência de todas.

Publicado em VEJA de 26 de junho de 2019, edição nº 2640

Envie sua mensagem para a seção de cartas de VEJA
Qual a sua opinião sobre o tema desta reportagem? Se deseja ter seu comentário publicado na edição semanal de VEJA, escreva para veja@abril.com.br

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.