Clique e assine com até 92% de desconto

Sterblich: ‘Troquei o programa mais machista pelo mais feminista’

O ator e humorista abre o jogo sobre sua saída do 'Pânico' depois de fazer um quadro com tons racistas — do qual se arrepende — e fala dos planos na Globo

Por Bruno Meier 12 fev 2017, 08h20

Fora do Pânico na Band desde abril de 2016, após uma controvérsia por ter se pintado de preto para um quadro da atração, Eduardo Sterblitch avalia: “Hoje, estou na equipe de criação do Amor & Sexo, e isso é mais importante do que minha participação no ar, pois gosto de dar ideias. Saí do programa mais machista da televisão para o mais feminista“. Em VEJA desta semana, o humorista relembra a polêmica com o personagem Africano (“Não sou racista, mas sei onde a piada foi racista. Nunca mais vi e só me permiti falar disso agora. Eu me sinto mal“) e seus planos na Globo (“Tenho projetos a apresentar à emissora. Um deles é uma espécie de Monty Python para crianças”).

Compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Publicidade