Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Nobel da Literatura 2021: Os favoritos ao prêmio e seus melhores livros

Honraria deste ano será entregue na quinta, dia 7; confira quais autores estão em alta nas bolsas de apostas e dicas de livros assinados por eles

Por Raquel Carneiro Atualizado em 4 out 2021, 18h03 - Publicado em 4 out 2021, 17h07

Principal honraria que celebra a excelência literária mundial, o Nobel da Literatura, anualmente, movimenta as casas de apostas, que buscam acertar qual será o próximo laureado. Raramente os palpiteiros acertam o vencedor – porém, muitos dos premiados figuraram em alguma posição de listas do tipo. Este ano, a maioria dos autores entre os favoritos é de fora do eixo Europa-Estados Unidos, em um aceno pela busca de uma maior diversidade entre os vencedores – exceto pelo nipo-britânico Kazuo Ishiguro, premiado em 2017, todos os laureados do Nobel da Literatura dos últimos nove anos eram europeus ou americanos. No ano passado, quem levou a honraria foi a poeta americana Louise Glück.

O japonês Haruki Murakami, 72 anos, mantém há anos o favoritismo entre os apostadores, e já começa a ser tratado como o “novo” Philip Roth – incomparável escritor americano que morreu sem o Nobel. O autor de obras como Minha Querida Sputnik e a trilogia 1Q84 ostenta uma vasta produção literária, que transita entre romances, contos e não-ficção, discorrendo por temas filosóficos e cotidianos, muitas vezes com a ajuda de elementos fantásticos.

A poeta canadense Anne Carson, 71, e sua conterrânea, a popular autora da distopia O Conto da Aia, Margaret Atwood, 81, também estão entre as favoritas. As mulheres, aliás, são as mais citadas nas casas de apostas. Estão cotadas ainda a novelista russa Ludmila Ulitskaya, 78, a autora francesa Annie Ernaux, 81, e a guadalupense Maryse Condé, 84. Por fim, o húngaro László Krasznahorkai, 67, dono de uma prosa intrincada e polêmica, e o versátil queniano Ngũgĩ wa Thiong’o, 83, são dois outros fortes concorrentes ao prêmio.

Confira a seguir dicas de livros de autoria destes escritores:

Eu, Tituba: Bruxa Negra de Salem, de Maryse Condé

A personagem real, nascida em Barbados e filha de escravos, estava entre as mulheres julgadas por praticar bruxaria em Salem, no século XVII. Sua história é narrada com intensidade e liberdade poética pela autora guadalupense, que acrescenta um tom sobrenatural à trama.

Meninas, de Liudmila Ulítskaia

O livro traz seis contos ambientados em Moscou, em torno da morte de Stálin, em 1953, e protagonizados por garotas de 9 a 11 anos de idade. A ótica ingênua das jovens se mescla aos sentimentos da época, do contexto social até a manipulação política soviética e sua propaganda.

Continua após a publicidade

Sonhos em Tempo de Guerra, de Ngũgĩ wa Thiong’o

Livro de memórias, a obra volta ao fim dos anos 30, em uma área rural onde pai do autor com suas quatro esposas e 24 filhos viviam numa pequena comunidade. Ele narra então, as primeiras experiências sociais e culturais do processo de colonização.

O Assassino Cego, de Margaret Atwood

Se O Conto da Aia é o livro mais popular da autora canadense, O Assassino Cego é seu título de maior prestígio. A obra narra a decadência de uma família ricaça em paralelo com outra trama: uma ficção científica erótica escrita por uma das jovens desta família, que se matou deixando para trás apenas o manuscrito.

Autobiografia do Vermelho, de Anne Carson

A obra, que será lançada ainda este mês pela Editora 34, foi chamada pela autora de “romance em versos”. A poeta revê o mito grego de Gerião, um monstro vermelho que caiu na mira de Hércales, vertendo a trama em uma história de amor e amadurecimento.

Os Anos, de Annie Ernaux

A história da França se mescla a uma autobiografia em terceira pessoa da autora, que usa memórias e fatos, ao longo de seis décadas, do pós-Guerra nos anos 40 até a virada do milênio.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)