Clique e assine com até 92% de desconto

‘Heath Ledger foi o Coringa perfeito’, diz Jared Leto

Ator é o novo encarregado do papel do vilão no filme ‘Esquadrão Suicida’

Por Da redação 3 ago 2016, 22h23

Ao aceitar o papel do vilão Coringa para o filme Esquadrão Suicida, Jared Leto teve que levar em conta todos os grandes atores que já interpretaram o personagem no passado. Especialmente o mais recente, Heath Ledger, que conquistou um Oscar póstumo por sua atuação no filme Batman: O Cavaleiro das Trevas, em 2008, mesmo ano em que o ator morreu, aos 28, por overdose. Na época, muitas teorias foram levantadas de que o papel do vilão teria conduzido o ator a um caminho de autodestruição.

Apesar da história macabra, Leto conta à revista americana GQ Style que não teve preocupações ao aceitar o papel. “Eu não me lembro de hesitar.” Já sobre a atuação de Ledger, o colega de profissão é enfático. “Ele não foi apenas o Coringa perfeito, mas provavelmente foi uma das melhores performances de todos os tempos. Não só na pele de um vilão, mas talvez a melhor atuação em um filme e ponto final. Essa é minha opinião. E já era minha opinião antes de receber o convite. Foi uma performance perfeita, e isso é muito raro”, diz Leto sobre Ledger.

LEIA TAMBÉM:
Arlequina e Coringa seguram as pontas de ‘Esquadrão Suicida’
‘Esquadrão Suicida’: fãs querem fechar o site Rotten Tomatoes

Sobre os demais atores que já viveram o Coringa, o novo intérprete do vilão diz que preferiu não pensar no passado, mas sim trazer algo novo. “Você tem um personagem de 75 anos, vivida por diversos artistas. Esse fato me deu um grande senso de liberdade e permissão para fazer meu próprio caminho. Por um lado, eu tenho um grande respeito por tudo que já foi feito, e por outro tinha o entusiasmo da oportunidade de fazer algo novo e diferente”, diz.

Já sobre a pesquisa para dar vida a um personagem tão obscuro, Leto conta que não se deixou afetar pela preparação antes das filmagens. “Eu pesquisei muito sobre violência, assisti muitas coisas. Coisas que ninguém deveria ver. E eu percebi que aquilo começou a causar um impacto sobre mim, então parei.”

Continua após a publicidade
Publicidade