Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Francisco Ansiliero é a personalidade gastronômica de Brasília em 2018

Chef, sommelier e restaurateur, ele ajudou a erguer os pilares da alta gastronomia brasiliense

Por Ricardo Castanho Atualizado em 23 Maio 2018, 15h51 - Publicado em 23 Maio 2018, 15h40

Tratar alguém em plena atividade como um dos fundadores da riqueza gastronômica de uma metrópole parece impensável no século XXI. Mas essa possibilidade faz sentido quando se fala em Francisco Ansiliero, 78 anos, e Brasília, 58. Nascido em Videira (SC), Ansiliero acumulou funções e moradas antes de se tornar chef e um restaurateur icônico da cidade. Foi padre, diretor da UNE, professor universitário e empresário do ramo madeireiro. Por causa da carreira acadêmica, deixou São Paulo para viver três anos em seu estado natal e oito em Rondônia, antes de fixar raízes na capital federal. Aqui, trocou a psicologia por uma antiga paixão, a cozinha.

Há exatas três décadas, após uma pesquisa pessoal sobre o mercado e o paladar brasiliense, ele abriu o primeiro Dom Francisco, na 402 Sul. Apostou suas fichas em preparos de picanha, bacalhau e tambaqui, estrelas da marca até hoje. Mas os feitos do chef vão além. Formado pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), Ansiliero desenvolveu uma das melhores cartas de vinho do país, elaborou um sistema próprio de armazenamento de garrafas em canos de PVC e propagou o consumo local da bebida com preços atraentes.

O chef autodidata também apresentou uma série de insumos e pratos ao público da capital, muitos criados por ele — na lista de lançamentos está uma caldeirada de surubim com ingredientes do cerrado e da Amazônia. Apesar de sua constante presença no salão do endereço da Asbac, Ansiliero continua viajando para garimpar novos produtos e dar aulas e palestras. Capaz de falar por horas sobre comida e bebida, ele só considera chato um assunto chato nesse ramo: a sua aposentadoria.

Publicidade