Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Criadora do Pussycat Dolls nega acusações de ex-integrante

Depois da cantora afirmar que banda era ‘rede de prostituição’, coreógrafa Robin Antin afirmou que foram 'mentiras nojentas e ridículas'

Por Da redação
17 out 2017, 20h02

A criadora do grupo Pussycat Dolls, Robin Antin, afirmou que as acusações feitas pela ex-integrante Kaya Jones foram “mentiras nojentas e ridículas”. Kaya afirmou, no Twitter, que o grupo não era um conjunto musical, mas de uma “rede de prostituição” e que as integrantes eram “obrigadas a dormir com executivos da indústria musical”.

A coreógrafa Robin Antin, que criou o grupo em 1995, afirmou ao site americano The Blast que Kaya nunca foi uma integrante oficial do grupo, teve apenas algumas experiências e está “a procura de 15 minutos de fama”. De acordo com a publicação, o advogado da banda foi acionado para enviar um comunicado a Kaya para parar de denegrir a marca, antes que medidas legais sejam tomadas.

A girlband Pussycat Dolls fez sucesso no início dos anos 2000. O disco de estreia do grupo, PCD (2005), trouxe hits como Don’t Cha, ButtonsI Don’t Need a Man e Stickwitu. No último dia 9, foi confirmado o retorno do grupo com a formação original. De acordo com a MTV britânica, o grupo contará com Nicole, Melody Melody Thornton, Jessica Sutta, Kimberly Wyatt e Ashley Roberts.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.