Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Com ‘A Força do Querer’, Globo ganha quase dez pontos no Ibope

Média de audiência da novela até aqui é de 36 pontos na Grande São Paulo, contra 27,1 pontos da anterior (e chatérrima) ‘A Lei do Amor’

Por Estadão Conteúdo
Atualizado em 10 out 2017, 11h23 - Publicado em 10 out 2017, 10h33

É verdade que a novela teve uma ajudinha da Simba, a organização que reúne SBT, Record e Band e que tirou as principais concorrentes da Globo por alguns meses do cardápio da TV paga. Mas o principal trunfo de A Força do Querer é dela mesma: a autora, Gloria Perez, acertou na mistura de casos reais com ficção, ao mesclar Bibi Perigosa a Ivan/Ivana e a triângulos amorosos diversos, e fez a emissora carioca recuperar quase dez pontos de média na faixa das 21h, no Ibope da Grande São Paulo.

Ao fim da 27ª semana no ar, A Força do Querer tem média de 36 pontos em São Paulo – contra 27,1 pontos da anterior (e chatérrima) A Lei do Amor, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. Também está muito à frente do marasmo barroco de Velho Chico (28,9 pontos), da pegada criminal A Regra do Jogo (28,5) e da caótica Babilônia (25,5). Império, novela de Aguinaldo Silva que antecedeu Babilônia, ao suceder a modorrenta Em Família (29,6), despedida de Manoel Carlos das novelas, foi um respiro em um ano de eleições, 2014: 32,7 pontos de média.

A sucessão de novelas sem tramas empolgantes – Império foi uma exceção, a que a audiência correspondeu, e A Regra do Jogo (2015-2016) também tinha pontos positivos, mas seus dois pés no mundo do crime podem ter limitado o seu alcance – também ajuda a explicar o sucesso de A Força do Querer. O público, que adora folhetim, estava sedento por histórias que quisesse acompanhar. E Gloria Perez, aqui voando menos do que nunca, ufa, deu histórias com que as pessoas pudessem se identificar. Ou se informar, caso do transgênero Ivan (Carol Duarte).

Continua após a publicidade

Apesar do tom cafona, Amor à Vida (2013), de Walcyr Carrasco, cumpriu essa tarefa, em uma trama cheia de melodramas que saiu do ar com audiência média de 35,5 pontos em São Paulo. Cabe agora a Carrasco, autor da próxima novela das 9, O Outro Lado do Paraíso, manter a boa forma do horário e afastar a fase mais negra vivida pela teledramaturgia da Globo.

Antes de Em Família, a primeira novela das 9 a ficar abaixo dos 30 pontos no Ibope paulistano, todas flutuavam acima dessa marca. Salve Jorge, escrita por Gloria Perez em 2012, marcou 33,96. A badalada Avenida Brasil, do mesmo ano, 38,9 pontos, e sua antecessora, Fina Estampa (2011-2012), de Aguinaldo Silva, 39,2.

A audiência de A Força do Querer se consolida, portanto, como a maior desde Avenida Brasil, folhetim de João Emanuel Carneiro que foi um fenômeno de popularidade. A trama da sereia Ritinha (Isis Valverde) ainda pode crescer um pouco no Ibope. A novela registrou novo recorde de audiência na semana passada (43 pontos entre os dias 2 e 7 de outubro), dois pontos acima do recorde anterior (nas semanas de 11 a 16 de setembro e 25 a 30 de setembro); e 12 acima da média em relação à primeira semana da novela, com um aumento de 39% de audiência.

Continua após a publicidade

Audiência das últimas novelas das 9 da Globo:

 

A Lei do Amor (2016-2017): 27,1 pontos

Continua após a publicidade

Velho Chico (2016): 28,9

A Regra do Jogo (2015-2016): 28,5

Babilônia (2015): 25,5

Continua após a publicidade

Império (2014): 32,7

Em Família (2014): 29,6

Amor à Vida (2013): 35,5

Continua após a publicidade

Salve Jorge (2013): 34,9

Avenida Brasil (2012): 38,9

Fina Estampa (2011-2012): 39,2

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.