Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Com ‘A Força do Querer’, Globo ganha quase dez pontos no Ibope

Média de audiência da novela até aqui é de 36 pontos na Grande São Paulo, contra 27,1 pontos da anterior (e chatérrima) ‘A Lei do Amor’

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 10 out 2017, 11h23 - Publicado em 10 out 2017, 10h33

É verdade que a novela teve uma ajudinha da Simba, a organização que reúne SBT, Record e Band e que tirou as principais concorrentes da Globo por alguns meses do cardápio da TV paga. Mas o principal trunfo de A Força do Querer é dela mesma: a autora, Gloria Perez, acertou na mistura de casos reais com ficção, ao mesclar Bibi Perigosa a Ivan/Ivana e a triângulos amorosos diversos, e fez a emissora carioca recuperar quase dez pontos de média na faixa das 21h, no Ibope da Grande São Paulo.

Ao fim da 27ª semana no ar, A Força do Querer tem média de 36 pontos em São Paulo – contra 27,1 pontos da anterior (e chatérrima) A Lei do Amor, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. Também está muito à frente do marasmo barroco de Velho Chico (28,9 pontos), da pegada criminal A Regra do Jogo (28,5) e da caótica Babilônia (25,5). Império, novela de Aguinaldo Silva que antecedeu Babilônia, ao suceder a modorrenta Em Família (29,6), despedida de Manoel Carlos das novelas, foi um respiro em um ano de eleições, 2014: 32,7 pontos de média.

A sucessão de novelas sem tramas empolgantes – Império foi uma exceção, a que a audiência correspondeu, e A Regra do Jogo (2015-2016) também tinha pontos positivos, mas seus dois pés no mundo do crime podem ter limitado o seu alcance – também ajuda a explicar o sucesso de A Força do Querer. O público, que adora folhetim, estava sedento por histórias que quisesse acompanhar. E Gloria Perez, aqui voando menos do que nunca, ufa, deu histórias com que as pessoas pudessem se identificar. Ou se informar, caso do transgênero Ivan (Carol Duarte).

Apesar do tom cafona, Amor à Vida (2013), de Walcyr Carrasco, cumpriu essa tarefa, em uma trama cheia de melodramas que saiu do ar com audiência média de 35,5 pontos em São Paulo. Cabe agora a Carrasco, autor da próxima novela das 9, O Outro Lado do Paraíso, manter a boa forma do horário e afastar a fase mais negra vivida pela teledramaturgia da Globo.

Antes de Em Família, a primeira novela das 9 a ficar abaixo dos 30 pontos no Ibope paulistano, todas flutuavam acima dessa marca. Salve Jorge, escrita por Gloria Perez em 2012, marcou 33,96. A badalada Avenida Brasil, do mesmo ano, 38,9 pontos, e sua antecessora, Fina Estampa (2011-2012), de Aguinaldo Silva, 39,2.

A audiência de A Força do Querer se consolida, portanto, como a maior desde Avenida Brasil, folhetim de João Emanuel Carneiro que foi um fenômeno de popularidade. A trama da sereia Ritinha (Isis Valverde) ainda pode crescer um pouco no Ibope. A novela registrou novo recorde de audiência na semana passada (43 pontos entre os dias 2 e 7 de outubro), dois pontos acima do recorde anterior (nas semanas de 11 a 16 de setembro e 25 a 30 de setembro); e 12 acima da média em relação à primeira semana da novela, com um aumento de 39% de audiência.

Audiência das últimas novelas das 9 da Globo:

 

Continua após a publicidade

A Lei do Amor (2016-2017): 27,1 pontos

Velho Chico (2016): 28,9

A Regra do Jogo (2015-2016): 28,5

Babilônia (2015): 25,5

Império (2014): 32,7

Em Família (2014): 29,6

Amor à Vida (2013): 35,5

Salve Jorge (2013): 34,9

Avenida Brasil (2012): 38,9

Fina Estampa (2011-2012): 39,2

Continua após a publicidade

Publicidade