Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Alice in Chains se despede do país com hits e homenagens

Em uma hora e meia de show em SP, grupo americano empolgou o público com um bom repertório e ainda prestou tributo ao ex-vocalista, morto por overdose

Por Rafael Costa Atualizado em 27 set 2018, 09h06 - Publicado em 27 set 2013, 02h13

O Alice in Chains se apresentou na noite desta quinta-feira no Espaço das Américas, em São Paulo, no último show de sua turnê brasileira. Para celebrar o encerramento da passagem pelo país, o grupo vestiu a camisa, literalmente, terminando a apresentação com uniformes da seleção personalizados com o nome de cada integrante — com exceção do baixista Mike Inez, que permaneceu de camiseta preta. Após passar pelo Rock In Rio, no último dia 20 de setembro, e por Porto Alegre, no dia 24, a banda, uma das um das precursoras do movimento grunge ao lado do Nirvana, presenteou os fãs da capital paulista com grandes hits da carreira e com seu som pesado característico.

Entrevista: ‘Os brasileiros são animados’, diz baixista do Alice in Chains

Bate-cabeça – Em uma hora e meia de show, o grupo desfilou um repertório que valorizou os grandes hits do auge da carreira, como Man In the Box, Them Bones, Would? e Rooster. As músicas acenderam o público, que em alguns momentos iniciava rodas de bate-cabeça – onde as pessoas ficam pulando e se trombando umas com as outras de forma amigável, na medida do possível. Os momentos mais calmos e sem muita empolgação foram marcados pelas músicas compostas durante a nova formação com William DuVall no vocal, como Last of My Kind, Check My Brain e Your Decision, do álbum Black Gives Way to Blue, de 2009, e Hollow e Stone, do disco mais recente the Devil Put Dinossaurs Here.

William DuVall, aliás, cumpre perfeitamente o árduo papel de substituir o lendário vocalista Layne Staley — membro fundador da banda, morto em 2002 por conta de uma overdose de heroína e cocaína. O timbre vocal muito semelhante ao de Staley tem a capacidade de agradar até os fãs mais saudosistas. Tudo bem que o visual estilo Lenny Kravitz do novo vocalista destoa um pouco do estilo da banda, no entanto, fechando os olhos, mal se percebe a diferença nas músicas, principalmente nos duetos com o guitarrista Jerry Cantrell.

Homenagens – Apesar de já se ter passado onze anos de sua morte, Layne Staley foi lembrado com carinho durante o show. Antes da música Nutshell, uma camisa da seleção brasileira com o número nove e o nome do ex-vocalista foi pendurada em um dos telões de led que ficavam sobre o palco. A música, aliás, é especial para o baixista Mike Inez, que contou anteriormente em entrevista ao site de VEJA que sempre lembra do ex-companheiro e amigo quando a toca. A homenagem também teve espaço para Mike Starr, baixista e membro fundador da banda, que deixou o Alice In Chains em 1993 e morreu em março de 2011.

Continua após a publicidade
Publicidade