Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
. Thomas Traumann Jornalista e consultor de comunicação, é autor de "O Pior Emprego do Mundo", sobre o trabalho dos ministros da Fazenda. Escreve sobre política e economia

O que Bolsonaro e Lula merecem, segundo os eleitores

Pesquisa mostra quem acha que Lula deve voltar ao poder e quantos acham que Bolsonaro deve ficar no Planalto

Por Thomas Traumann Atualizado em 11 abr 2022, 11h40 - Publicado em 11 abr 2022, 10h53

Para tentar entender o impasse das eleições, é recomendável ouvir as respostas à duas perguntas da última pesquisa Quaest:

Jair Bolsonaro merece um segundo mandato?

Sim 36%

Não 61%

Lula da Silva merece voltar ao poder?

Sim 54%

Não 43%

Vai ganhar a eleição quem resolver essas duas variáveis. As pesquisas eleitorais mostram Bolsonaro crescendo de forma sustentável desde janeiro, quase garantindo seu lugar no segundo turno. Mas a partir daí, a derrota hoje parece certa. Pela mesma Quaest, num segundo turno Lula venceria por 55% a 34%. A pesquisa mostrou que 61% dos brasileiros dizem que nunca votariam em Bolsonaro.

Bolsonaro vai gastar o que poder e o que não puder no seu pacote de bondades nos próximos meses e reforçar a ordem unida sobre os candidatos a governador e deputados nos Estados. A força da máquina federal e das campanhas nos estados dará impulso a Bolsonaro até o final da campanha…

Continua após a publicidade

Mas não basta.

Bolsonaro passou os últimos três anos governando apenas para os seus eleitores. Ele criou uma relação de fidelidade e engajamento inédita que permitiu ao seu governo sobreviver à pandemia de Covid, à tentativa de intervenção no STF e à volta da inflação. As pesquisas indicam que esse apoio o coloca bem à frente do terceiro candidato nas eleições de outubro, mas joga contra ele quando chega ao segundo turno. Bolsonaro governou para um terço da população. É amador achar que ele vai chegar aos 51% apenas reciclando o discurso antipetista, anticomunista e antipoliticamente correto. Isso funcionou em 2018 quando Bolsonaro era oposição e podia culpar o PT pela estagnação econômica, mas em 2022 depois de quatro anos na Presidência e a inflação é o pesadelo diário.

As declarações de Lula na semana passada não foram equivocadas apenas pelo seu conteúdo, mas pela forma displicente como o candidato citou decisões que poderá ter de encarar se for eleito, como tornar o aborto uma política de saúde (algo que o PT não fez nos 13 anos de poder) ou retirar os 8 mil militares com cargos em comissão de funções civis. Lula é o favorito, mas é um erro desconhecer que 43% da população acha que ele não merece voltar ao poder.

Um alerta sobre a vantagem lulista pode ser medida em outra pergunta da Quaest:

Nas eleições, você prefere que vença

Lula 46% (+ 2 pontos desde março)

Bolsonaro 35% (+ 5 pontos desde março)

Nem-Bolsonaro-Nem-Lula 19% (- 6 pontos desde março)

O quadro mostra que o eleitor está afunilando as suas opções entre Bolsonaro e Lula e que os eleitores do Nem-Nem vão decidir quem leva. Segundo a Quaest, enquanto 70% dos eleitores de Bolsonaro e Lula tem certeza da escolha, entre os Nem-Nem 66% admitem que podem ainda mudar seus votos.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)