Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Nova Temporada Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Fernanda Furquim
Este é um espaço dedicado às séries e minisséries produzidas para a televisão. Traz informações, comentários e curiosidades sobre produções de todas as épocas.
Continua após publicidade

Review: ’37 Days’

Em 2014 a 1ª Guerra Mundial completa cem anos. Para marcar a data, canais de países como a Inglaterra e a Austrália produzem documentários e minisséries que buscam retratar este momento histórico, bem como as mudanças sócio-culturais que ele provocou. Entre os dramas produzidos para este fim está a minissérie 37 Days, exibida na Inglaterra […]

Por Fernanda Furquim
Atualizado em 31 jul 2020, 04h03 - Publicado em 13 abr 2014, 16h19
Inglaterra: (E-D) Primeiro Ministro Asquith (Tim Pigott-Smith), Sir Edward Grey (Ian McDiarmid), Lord Morley (Bill Paterson), David Lloyd George (Mark Lewis Jones), John Burns (Ken Cranham), e Winston Churchill (Nicholas Asbury). (Fotos: Steffan Hill/BBC)

Inglaterra: (E-D) Primeiro Ministro Asquith (Tim Pigott-Smith), Sir Edward Grey (Ian McDiarmid), Lord Morley (Bill Paterson), David Lloyd George (Mark Lewis Jones), John Burns (Ken Cranham), e Winston Churchill (Nicholas Asbury). (Fotos: Steffan Hill/BBC)

Em 2014 a 1ª Guerra Mundial completa cem anos. Para marcar a data, canais de países como a Inglaterra e a Austrália produzem documentários e minisséries que buscam retratar este momento histórico, bem como as mudanças sócio-culturais que ele provocou. Entre os dramas produzidos para este fim está a minissérie 37 Days, exibida na Inglaterra em março.

Escrita por Mark Hayhurst, a minissérie apresenta as situações que levaram ao início do conflito. Ela começa com o assassinato do Príncipe da Áustria, Franz Ferdinand, e termina com o Big Ben anunciando o início da 1ª Guerra Mundial.

Ao longo de três episódios, o público acompanha os bastidores do governo britânico, onde Sir Edward Grey (Ian McDiarmid), Ministro do Exterior, luta para manter o diálogo entre Alemanha, Áustria, França e Rússia, na tentativa de evitar uma guerra de grandes proporções. A minissérie também apresenta o lado da Alemanha, com personagens interpretados por atores alemães. O Imperador Wilhelm (Rainer Sellien) acredita que o assassinato foi obra do governo da Sérvia e pressiona a Áustria para que reaja de forma rápida e firme. Briga de egos, problemas de comunicação, desentendimentos políticos, indecisões e preconceitos transformaram um conflito regional, que poderia ser solucionado rapidamente, em uma guerra que mudou o mundo, dando início à era moderna.

Embora seja uma produção voltada a apresentar apenas os fatos históricos, sem se ater à vida pessoal dos protagonistas, a minissérie se preocupa em desenvolver as personalidades dos personagens e as situações, explorando questões sócio-culturais e políticas. A trama é narrada por dois rapazes que trabalham no Ministério das Relações Exteriores de seus respectivos governos: Inglaterra e Alemanha. Enquanto apresentam o ambiente e os personagens, eles contextualizam os fatos e relacionam os personagens.

No primeiro episódio testemunhamos o estilo de vida na Inglaterra antes do início do conflito. Também acompanhamos a forma como o governo britânico age politicamente e, ao longo dos diálogos, tomamos conhecimento das opiniões sócio-culturais e políticas que o governo britânico tinha na época sobre outros países. No mesmo episódio somos apresentados aos bastidores do governo alemão, que também apresenta os aspectos sócio-culturais de seu país e a forma como ele via os países vizinhos.

Continua após a publicidade
Alemanha: (E-D) Chanceler  Bethmann-Hollweg (Ludger Pistor), Imperador Wilhelm II (Rainer Sellien) e o General Moltke (Bernhard Schutz).

Alemanha: (E-D) Chanceler Bethmann-Hollweg (Ludger Pistor), Imperador Wilhelm II (Rainer Sellien) e o General Moltke (Bernhard Schutz).

A Áustria aparece mais como coadjuvante, personagem que é manipulado e pressionado pela Alemanha. Não temos acesso aos bastidores deste governo, que é representado por seu embaixador e por algumas cenas sem diálogos do Imperador austríaco. A Rússia e a França entram no segundo episódio, também representadas por seus respectivos embaixadores na Inglaterra.

Lentamente, o cenário do pré-guerra é construído sem apelar para diálogos didáticos. As conversas giram em torno do temor de um conflito de grandes proporções e das tentativas de cada governo em prever como outros países reagirão caso a Áustria ataque a Sérvia, com o apoio incondicional da Alemanha. A minissérie também apresenta um conflito interno que surge no governo alemão, onde militares e políticos se enfrentam, medindo forças, cada um buscando um objetivo oposto. O Imperador e os militares queriam a guerra, enquanto os políticos e o embaixador, Príncipe Licknowsky (Urs Remond), tentam evitar que o conflito fuja ao controle, tornando-se algo maior.

Esta briga de egos e a manipulação que surge entre países, bem como os excelentes diálogos que giram em torno do perfil político de cada nação, é que fazem a minissérie fugir de uma narrativa didática que geralmente aparece em dramas históricos, os quais costumam ser focados em heróis x bandidos. A Inglaterra comete erros políticos que aproximam os países da guerra, a Alemanha oferece personagens que tentam evitar o conflito, enquanto que a França e a Rússia aparecem como dependentes das decisões de terceiros.

No elenco também estão Nicholas Asbury, como o jovem Wiston Churchill, que consegue ter uma visão mais clara do cenário político que Sir Grey; Nicholas Farrell como Sir Eyre Crowe, um diplomata britânico de origem alemã que tenta inutilmente alertar Sir Grey do perigo que o governo alemão representa; Tim Pigott-Smith (The Hour) como o Primeiro Ministro Herbert Henry Asquith, casado com Margot Tennant Asquith (Sinéad Cusack, de Camelot e The Deep), uma mulher que tem grande interesse no cenário político de sua época; Mark Lewis Jones (Stella), como David Lloyd George, Chanceler do Tesouro; Bernhard Schütz, como o General Helmuth von Moltke; Ludger Pistor, como von Bethmann Hollweg; Kenneth Cranham (In The Flesh), como John Burns, membro do Parlamento britânico; Bill Patterson (Law & Order: UK), Ian Beattie (Game of Thrones), Niall Cusack,  Patrick Fitzsymons, George Lenz (Page Eight: Salting The Battlefield) e Stephan Szasz, entre outros.

Continua após a publicidade

A minissérie 37 Days está disponível no site de streaming da BBC para quem mora ou visita o Reino Unido. O DVD será lançado no mercado internacional em junho.

Para marcar o centenário do conflito, a BBC também produziu o melodrama The Crimson Field e a minissérie The Great War, sendo que primeira já está em exibição no Reino Unido e a segunda está prevista para estrear em novembro.

Estrelas4

Cliquem nas fotos para ampliar. 

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=jaIg-dAaeBY&w=620&h=330%5D

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.