Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Sobre Palavras

Por Sérgio Rodrigues
Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.
Continua após publicidade

Por que dizemos que um negócio é ‘da China’?

“Gosto muito de saber a origem das expressões idiomáticas e aproveito a discussão do papo/palpo de aranha para perguntar ao senhor: ‘negócio da China’ veio da China mesmo? Por quê?” (Nestor Mendes) Esta coluna, que completa cinco anos este mês, ainda era um bebê quando, provocado pela leitora Maria de Lourdes Canedo, tratei aqui da […]

Por Sérgio Rodrigues
Atualizado em 31 jul 2020, 01h14 - Publicado em 3 jun 2015, 14h34

the travels of marco polo

“Gosto muito de saber a origem das expressões idiomáticas e aproveito a discussão do papo/palpo de aranha para perguntar ao senhor: ‘negócio da China’ veio da China mesmo? Por quê?” (Nestor Mendes)

Esta coluna, que completa cinco anos este mês, ainda era um bebê quando, provocado pela leitora Maria de Lourdes Canedo, tratei aqui da locução “negócio da China”. A oportunidade que Nestor nos dá de voltar ao assunto é bem-vinda: trata-se de uma expressão rara, tão antiga que sua origem se perde nas bruma dos séculos, mas que permanece atual como se tivesse sido criada ano passado. Como se sabe, significa “negócio muito lucrativo, maravilhoso”.

Em casos como este, a literatura costuma ser nossa melhor lanterna. Eis a teoria mais difundida e provável sobre a expressão, nas palavras com que a registra o livrinho de divulgação etimológica “A casa da mãe Joana”, de Reinaldo Pimenta:

Continua após a publicidade

A expressão se originou das viagens de Marco Polo ao Oriente, no século XIII. Com a divulgação de sua narrativa, a China ficou conhecida como uma terra de coisas mirabolantes, exóticas, atraindo a ambição de comerciantes.

Faz sentido. Se as provas cabais são impossíveis de coletar, é fato que o relato do mercador veneziano teve, sim, impacto e permanência suficientes na Europa para criar um dos mais persistentes lugares-comuns da nossa língua. E não só dela: o inglês tem a expressão Chinese deal, uma tradução perfeita.

Mas calma: isso não quer dizer que “negócio da China” tenha alcance universal. Até onde me foi dado apurar, consta que o espanhol, o francês e o alemão não adotaram a expressão, embora esta seja uma conclusão necessariamente provisória, à espera de desmentidos bem-vindos na caixa de comentários abaixo.

Continua após a publicidade

Outro fator de provável relevância para a permanência da locução em nosso idioma é a história da presença portuguesa em Macau, com seus quase cinco séculos de negócios – neste caso, literalmente – da China.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Às segundas, quartas e quintas-feiras o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.