Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Sobre Palavras

Por Sérgio Rodrigues Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.
Continua após publicidade

Este cabelo é ‘brilhante’ ou ‘brilhoso?’ Bem…

“Me chamo Silvia Sanches, sou brasileira e moro no Canadá há cinco anos. Sempre fui apaixonada pela língua portuguesa e sempre gostei de ler e escrever, tanto que hoje como hobby tenho um blog. No meu blog, desenvolvo diversos assuntos, e um deles é maquiagem e o mundo da beleza. É claro que a minha […]

Por Sérgio Rodrigues
Atualizado em 31 jul 2020, 01h05 - Publicado em 24 jun 2015, 11h15

koleston 2

“Me chamo Silvia Sanches, sou brasileira e moro no Canadá há cinco anos. Sempre fui apaixonada pela língua portuguesa e sempre gostei de ler e escrever, tanto que hoje como hobby tenho um blog. No meu blog, desenvolvo diversos assuntos, e um deles é maquiagem e o mundo da beleza. É claro que a minha dúvida tem relação com a língua portuguesa e o universo da beleza. Vamos a ela. O correto é dizer ‘sombra brilhosa’ ou ‘sombra brilhante’? ‘Cabelo brilhoso’ ou ‘cabelo brilhante’? Na faculdade aprendi que na língua portuguesa ‘brilhoso’ e ‘brilhosa’ não existem, e o correto é dizer ‘brilhante’! Escuto muitas blogueiras dizerem ‘brilhoso’, ‘brilhosa’ e confesso que me arrepio inteira, mas será que eu estou errada? No aguardo de sua gentil resposta. Muito obrigada.” (Silvia Sanches)

Sim, Silvia, você está errada. O adjetivo “brilhoso” tem existência plena no português brasileiro: é uma palavra dicionarizada que circula tanto na língua informal quanto no registro culto e que, em relação a seu sinônimo “brilhante”, guarda interessantes diferenças de sentido, como veremos.

Se a faculdade em que lhe ensinaram o contrário fica em Portugal ou na África, desculpa-se a falha, pois “brilhoso” é um brasileirismo, uma palavra formada e cultivada (segundo as melhores regras do português) deste lado do Atlântico. Se é uma faculdade brasileira, trata-se de um erro constrangedor.

Continua após a publicidade

“Brilho + oso” aparece em nossos dicionários como sinônimo de “brilhante”, isto é, “que brilha, que reluz”. Verdade. Ocorre que a troca do sufixo -(a)nte por -oso interfere na carga semântica do brilho de forma sutil mas decisiva. Aqui estamos falando mais de conotações do que de acepções frias: palavras têm cheiros, cores, temperaturas. Sinônimos perfeitos não existem.

“Brilhante” é um vocábulo intensamente positivo. Costuma ser usado para qualificar aquilo que tem luz própria, como uma estrela, ou que, não sendo a fonte da luz, consegue refleti-la com muita intensidade. “Cabelo brilhante” é um elogio incontornável.

Já “brilhoso”… Bem, falar em “cabelo brilhoso” também pode ser um elogio, claro, mas não necessariamente. O brilho do brilhoso é inferior – seja na intensidade, seja na qualidade – ao do brilhante.

Continua após a publicidade

Não é à toa que uma de suas acepções chega a ser francamente negativa: “que adquiriu brilho por uso constante ou por untuosidade; lustroso” (Houaiss). No livro “Cemitério de elefantes”, o contista Dalton Trevisan se refere a um personagem como “o gordo de calva brilhosa”. Poderia ter dito “calva brilhante”? Poderia. Mas perderia muito em expressividade.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Às segundas, quartas e quintas-feiras o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.