Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Ricardo Rangel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Continua após publicidade

Apagão: o PT erra 5 vezes, mas acerta no final

O apagão deixa Janja e o ministro das Minas e Energia em campos opostos

Por Ricardo Rangel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 16 ago 2023, 18h17 - Publicado em 16 ago 2023, 10h30

Ninguém sabia qual tinha sido o motivo do apagão, nem sequer se o problema tinha relação com a Eletrobras, mas o PT — a começar por Janja, que não está nem no governo nem no Congresso — já se alvoroçava, politizando o assunto e tentando atribuir tudo à privatização da Eletrobras.

Conseguiu concentrar cinco erros em um só.

Errou porque, diante do desconhecimento a respeito do que de fato aconteceu, atribuir o problema à privatização é obviamente precipitado e leviano.

Errou também porque não faz sentido nenhum acreditar que a privatização seja a vilã. O Brasil tem um histórico de apagões e, durante todos esses anos, a Eletrobras era pública. O pior foi em 2009, durante o governo Lula, quando quase 60 milhões de brasileiros ficaram sem luz. Sem falar que a Eletrobras era uma estatal especialmente ruim.

Errou porque tentar atribuir à privatização soa como desculpa esfarrapada, de quem prefere se eximir da responsabilidade a enfrentar o problema com coragem e honestidade.

Continua após a publicidade

E errou porque o PT deixa um gosto ruim ao elogiar o rito democrático quando gosta de seu resultado e tentar revertê-lo quando não gosta. Por pior que tenha sido o modelo de privatização da Eletrobras — e nunca se ouviu falar de modelo de privatização tão ruim —, ele foi uma decisão soberana do Congresso Nacional: democratas deveriam respeitá-la.

Por fim, é um erro político. Não existe a menor chance de o Congresso atual revogar a privatização. Insistir nesse assunto só serve para criar desgaste e má vontade contra o governo.

Coube ao ministro das Minas e Energia, Alexandre Silveira, botar a bola no chão. Afirmou que seria leviano — botando a primeira-dama no balaio dos “levianos” — atribuir o problema à privatização. Depois desafiou a cantilena da esquerda de que privatização é sempre ruim etc. etc. — mas seria demais esperar que fosse diferente.

Também disse que pediria à Polícia Federal que investigasse a hipótese de o problema ter sido causado deliberadamente. É uma providência acertada. Foi um apagão fora de hora (a demanda é baixa no inverno), houve uma tentativa de golpe de Estado há apenas oito meses, e o campo não está pacificado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.