Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

CPI adia depoimento de Protógenes para próxima quarta

No Estadão online:A CPI dos Grampos decidiu adiar para a próxima quarta-feira, 8, o depoimento do delegado Protógenes Queiroz, anteriormente marcado para amanhã, segundo informações da Agência Câmara. Também foi adiado o depoimento do ex-diretor-geral da Polícia Federal e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda. Lacerda iria à CPI nesta quinta, mas irá […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 17h54 - Publicado em 31 mar 2009, 21h28
No Estadão online:
A CPI dos Grampos decidiu adiar para a próxima quarta-feira, 8, o depoimento do delegado Protógenes Queiroz, anteriormente marcado para amanhã, segundo informações da Agência Câmara. Também foi adiado o depoimento do ex-diretor-geral da Polícia Federal e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda. Lacerda iria à CPI nesta quinta, mas irá depor no próximo dia 15. Protógenes recorreu ao Supremo Tribunal Federal na última segunda para garantir o direito de ficar calado e não ser preso durante o depoimento à comissão.
Motivo do adiamento: os parlamentares querem ouvir o delegado próximo ao depoimento de Lacerda. O ex-diretor da Abin, hoje adido policial em Portugal, alegou dificuldade de vir ao Brasil e solicitou a transferência para a semana que vem.
O delegado Protógenes comandou a Operação Satiagraha, que prendeu em julho o banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity; o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta; e o megainvestidor Naji Nahas. Por suspeitas de irregularidades no comando da operação, ele virou alvo de uma sindicância administrativa e uma representação na corregedoria, e foi afastado. Ele é suspeito de cometer irregularidades durante a ação da PF e foi indiciado em dois crimes: quebra de sigilo funcional e violação da Lei de Interceptações.
Nova denúncia da revista Veja complicou o delegado. A reportagem reforça a suspeita de que Protógenes usou métodos ilegais para investigar autoridades influentes e até pessoas do círculo pessoal do presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a Satiagraha. A lista de investigados pelo delegado incluiria a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o filho do presidente, Fábio Luiz da Silva, o Lulinha. Ele negou as acusações.
Após nova suspeita, a CPI dos Grampos prorrogou os trabalhos por mais 60 dias e o convocou para depor. O delegado prometeu dar “nome aos bois”. No entanto, recorreu ao STF para ficar calado.
Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)