Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Como a escolha do líder do PMDB e o Aedes aegypti se misturam…

Picciani sabe que perderia se a eleição, que ocorre na quarta, fosse hoje; desesperado, busca votos até de deputados licenciados que são ministros

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 23h32 - Publicado em 15 fev 2016, 14h48

Se a votação para a liderança do PMDB na Câmara fosse hoje, Leonardo Picciani (RJ), atual líder — um tanto a fórceps, é verdade —, seria derrotado por Hugo Motta (PB) por uns, deixem-me ver, sete votos… Mas a escolha só acontece depois de amanhã. Aí, sabem como é…

Parece que Picciani se deu conta de que sua situação é mesmo difícil. Tanto que às vésperas do pleito, que acontece na próxima quarta-feira, o parlamentar decidiu fazer um apelo a dois aliados que hoje ocupam a Esplanada dos Ministérios. Segundo informa a Folha, a ideia é contar com os votos de Marcelo Castro, atual chefe da Saúde, e Celso Pansera, titular da Ciência e Tecnologia. Ambos são deputados licenciados.

Picciani pretende se reunir com a dupla para perguntar se eles topariam deixar suas pastas, nem que fosse por um dia, apenas para participar da eleição pela liderança.

É claro que, no que concerne a Castro em particular, em tempos de vírus zika, seria um escracho com a nação. Do ponto de vista da efetividade do combate ao mosquito Aedes aegypti, seria irrelevante. Há até a possibilidade de haver uma discreta melhora no programa, imperceptível, como as ondas gravitacionais, mas, ainda assim, existentes.

Castro, a exemplo da larga maioria dos ministros, está na categoria das pessoas que, trabalhando a metade, rendem o dobro. Sem fazer nada, chegam a cem por cento da eficiência possível.

Haver a simples cogitação de que algo assim possa ser feito dá conta do ponto a que chegamos.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)