Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

COLÔMBIA – INSTITUTOS TENTAM ENCONTRAR DESCULPAS

Os institutos de pesquisa da Colômbia tentavam encontrar uma explicação razoável para o que se deu nas urnas ontem. Têm algumas saídas, vamos ver se convincentes. A lei eleitoral do país proíbe a divulgação de pesquisas na última semana do pleito. Entendo! Muita coisa pode mudar nesse tempo. Mas a lei não tem como proibir […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 15h11 - Publicado em 31 Maio 2010, 06h05

Os institutos de pesquisa da Colômbia tentavam encontrar uma explicação razoável para o que se deu nas urnas ontem. Têm algumas saídas, vamos ver se convincentes.

A lei eleitoral do país proíbe a divulgação de pesquisas na última semana do pleito. Entendo! Muita coisa pode mudar nesse tempo. Mas a lei não tem como proibir que se faça o levantamento. E, convenham, sempre se dá um jeito de divulgar os números quando eles existem.

Ontem, na Folha, Jorge Londoño, diretor do instituto de pesquisas colombiano Invamer-Gallup, publicou um artigo em que dizia que os ventos eram, sim, favoráveis a Santos, candidato de Álvaro Uribe. Já não estava mais com o cenário de empate, da semana passada: falou numa vantagem do candidato de Uribe sobre Antanas Mockus de 10 pontos. Foi de mais de 25!!!

Os institutos também alegam que as pesquisas não puderam medir o impacto dos debates na TV entre Santos e Mockus: dois da Citytv, três da Caracol e três de RCN. O primeiro teria dado um banho no segundo. Huuummm… Pode ser. O que chama a atenção, no entanto, não é o erro de prognóstico, mas a sua brutalidade!!! Essas explicações fariam sentido para uma diferença menor. Nessa proporção, o melhor mesmo é admitir que algo — mas o quê? — conduziu a erro tão brutal.

Mockus é uma figura esquisita, curiosamente midiática. Em mim, por exemplo, desperta a suspeita de que é meio maluco. Mas não sou colombiano, não estou lá. Dizem que foi um bom prefeito, ainda que um tanto heterodoxo. Surgiu no cenário como a grande novidade, inclusive como fiel depositário do discurso ético. Parece que era um fenômeno mais de mídia do que propriamente eleitoral.

Continua após a publicidade

A imprensa “progressista” mundo afora, inclusive a nossa, já vibrava com a possibilidade da derrota do candidato de Uribe, um presidente conservador e bem-sucedido na América Latina, o que parece insuportável.

Vamos ver. Santos ainda não ganhou, mas é evidente que as chances de Mockus se reduziram drasticamente. Até porque, em tese ao menos, ele está mais propenso a cometer erros agora. Ontem, já saiu acusando o adversário de ter apostado no “vale-tudo”. Se a sua retórica, até havia pouco bastante mansa, se tornar mais dura contra o candidato de Uribe, a tendência é que sua candidatura naufrague.

Para o bem da Colômbia.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.