Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Quem ‘realmente não presta’ no centrão? Bolsonaro não quis dizer

Presidente atinge todos os integrantes do centrão ao acusar figuras do bloco partidário sem dar os devidos nomes

Por Robson Bonin Atualizado em 10 jan 2022, 14h24 - Publicado em 10 jan 2022, 14h23

Jair Bolsonaro tem acesso a muitas informações na Presidência da República. Além do amplo serviço de inteligência do governo, conta com aliados em todos os cantos sempre dispostos a informá-lo sobre o que se passa no escurinho do governo.

Durante a CPI da Pandemia, ele recebeu o deputado Luís Miranda e o irmão dele Luis Ricardo Miranda no Palácio da Alvorada. Ouviu da dupla que um bilionário esquema de corrupção estava em curso na compra de vacinas. “Coisa desse Ricardo Barros”, como o próprio presidente teria dito na conversa, segundo os irmãos.

Na ocasião, Bolsonaro teria detonado não apenas Barros, que é cacique do centrão e líder do seu governo na Câmara, mas teria disparado contra outros dois nomes famosos do conglomerado fisiológico de partidos.

Até hoje Bolsonaro não deu nomes aos bois. Fez exatamente o contrário. Abraçou todos os figurões do centrão quando se filiou ao PL de Valdemar Costa Neto.

Nesta segunda, ao falar das suas relações com o centrão, o presidente disse que alguns integrantes do bloco partidário “realmente não prestam”. O presidente poderia, se quisesse, ter dado nomes aos bois. Preferiu manter a espada sobre a cabeça de todos os integrantes do centrão ao não fazê-lo.

Continua após a publicidade

Publicidade