Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Os políticos que estarão com Lula e Alckmin em São Paulo

Encontro organizado pelo Grupo Prerrogativas deixou de fora da lista nomes como Sergio Moro e João Doria

Por Laísa Dall'Agnol Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 15 dez 2021, 12h54 - Publicado em 15 dez 2021, 12h38

O jantar que vai reunir Lula e Alckmin neste domingo, em São Paulo, deverá receber uma legião de mais de 400 convidados de peso, entre políticos, advogados e juristas.

Organizado pelo Grupo Prerrogativas, o encontro acontece tradicionalmente todos os anos — com exceção de 2020 — e se propõe a discutir temas como liberdade de imprensa e defesa da democracia, além de levantar recursos para o combate à fome, diz o advogado Marco Aurélio de Carvalho, membro do grupo.

Veja alguns dos convidados:

– Senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Simone Tebet (MDB-MS)
– Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara (PL-AM)
– Gilberto Kassab (presidente do PSD)
– Carlos Siqueira (presidente do PSB)
– Gleisi Hoffmann (presidente do PT)
– Luciana Santos (presidente do PCdoB)
– Paulo Câmara (PSB), governador de Pernambuco
– Wellington Dias (PT), governador do Piauí
– Ricardo Nunes (MDB), prefeito de São Paulo
– Eduardo Paes (PSD), prefeito do Rio de Janeiro

Quem “não esteve e não estará na lista”, faz questão de frisar Marco Aurélio, foram Jair Bolsonaro, Sergio Moro e João Doria — nomes que, segundo o advogado, atuaram em conjunto para o projeto hoje em vigor no país — nocivo sobretudo para a democracia, diz.

Continua após a publicidade

Ciro Gomes (PDT) também havia ficado de fora do jantar — a justificativa dos organizadores é que ele se “distanciou” do campo progressista –, mas a operação da Polícia Federal nesta quarta-feira pode ter aberto uma brecha para um convite.

O Grupo Prerrogativas prestou solidariedade ao pedetista e classificou o mandado de busca e apreensão expedido contra ele como “policialesco com fins eleitorais”.

“Somos contra quaisquer excessos, não somos garantistas de ocasião. Não convidamos o Ciro para esse jantar, mas ele será muito bem-vindo. Se ele deixar de lado o ódio, de servir a direita, e fizer uma autocrítica silenciosa, não precisa nem se manifestar publicamente, ele será bem-vindo”, diz Marco Aurélio.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.