Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Na Guiana, Lula faz apelo para América do Sul “como zona de paz”

Presidente também falou sobre o conflito na Faixa de Gaza e, sem citar Israel, afirmou que o Brasil “não quer ter contencioso com nenhum país do mundo”

Por Ramiro Brites Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 09h56 - Publicado em 29 fev 2024, 12h33

Na Guiana, Lula fez uma declaração ao lado do presidente Irfaan Ali nesta quinta-feira e pediu esforço para manter a “América do Sul como uma zona de paz no planeta Terra”. O país vizinho vive uma tensão após uma ameaça da Venezuela, no fim do ano passado, de invadir o país em uma disputa pelo território de Essequibo.

“A nossa integração com a Guiana faz parte da estratégia do Brasil de ajudar não apenas no desenvolvimento, mas trabalhar intensamente para que a gente mantenha a América do Sul como uma zona de paz no planeta Terra. Nós não precisamos de guerra”, disse Lula.

“A guerra traz destruição de infraestrutura, destruição de vidas, e traz sofrimento. A paz traz prosperidade, traz educação, traz geração de emprego e tranquilidade aos seres humanos. Esse é o papel que o Brasil pretende jogar na América do Sul e no mundo”, seguiu o presidente brasileiro.

O petista lembrou da guerra entre Ucrânia e Rússia e o conflito na Faixa de Gaza. Desta vez, sem citar Israel e condenando o “ato terrorista do Hamas”, Lula enfatizou que o Brasil não quer ter “contencioso com nenhum país do mundo”.

Continua após a publicidade

“Todo mundo sabe que o Brasil é contra a guerra na Ucrânia, todo mundo sabe que o Brasil é contra o que está acontecendo na Faixa de Gaza, da mesma forma que fomos contra o ato terrorista do Hamas, e todo mundo sabe que o Brasil não tem e não quer ter contencioso com nenhum país do mundo. O Brasil quer paz, quer prosperidade, quer crescimento econômico e quer melhoria de vida do nosso povo.”

Na única vez em que citou a Venezuela, Lula disse que vai agradecer pessoalmente, na reunião da Celac, o primeiro-ministro de São Vicente e Granadinas, Ralph Gonsalves, “por ser um coordenador das conversas entre a Guiana e a Venezuela”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.