Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Gustavo Maia (interino) Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Em Pernambuco por causa das chuvas, Bolsonaro ataca o governador

Paulo Câmara disse não ter recebido convite do presidente, que criticou falta de iniciativa do chefe do estado

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 30 Maio 2022, 16h39 - Publicado em 30 Maio 2022, 12h20

Em Pernambuco para sobrevoar regiões atingidas pelas fortes chuvas dos últimos dias, que provocaram dezenas de mortes, Jair Bolsonaro foi questionado sobre a ausência do governador Paulo Câmara, que disse não ter sido convidado oficialmente pelo presidente para a visita.

Adversário político do pernambucano, Bolsonaro não negou que tenha ido ao Recife sem avisar o chefe do estado, mas mandou alguns recados para Câmara:

“Em todos os momentos que os governadores nos procuraram, ou prefeitos, nós atendemos. Eu acho que faltou iniciativa da parte dele também. Aqui ninguém está proibido de comparecer nesse local, nesse momento. Foi amplamente divulgado pela mídia de vocês, parabéns, da nossa presença aqui. E isso tudo aconteceu no sábado e domingo. Se o governador estava fazendo outra coisa, eu não sei. E talvez ache melhor não estar presente aqui”, declarou.

O presidente então disse que “a gente não vai politizar essa questão”, mas afirmou logo na sequência que, durante a pandemia, o governo federal enviou “vultosos recursos” para estados e municípios, entre eles Pernambuco.

“Então o momento não é de fazer política. Ele tem o candidato dele, eu respeito, quem vai decidir é a população. Agora, no momento de crise, você vai atrás, pra ajudar, não fica esperando ser chamado dentro de casa”, disse Bolsonaro.

Continua após a publicidade

Ele afirmou ainda que o Comandante Militar do Exército no Nordeste já havia começado a tomar providências para atuar nas regiões afetadas antes mesmo de receber uma “chamado de cima” e disse que o momento para o governador é de “arregaçar as mangas e vir trabalhar, de fato, para o seu povo”.

“E não fazer política em cima da desgraça de alguns, como infelizmente aconteceu, que perderam parentes. E eles não querem saber de quem vai votar esse ano, seja pra qual cargo for. É vir atrás, arregaçar as mangas e dizer que está realmente empenhado em defender e minorar o sacrifício e as dores do seu povo”, comentou.

Enquanto isso, Câmara acompanhava o trabalho de resgate das vítimas dos deslizamentos de barreiras na Região Metropolitana da capital, no Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe, como publicou em suas redes sociais. 

Continua após a publicidade

Bolsonaro, por sua vez, informou que ele e sua comitiva fizeram um sobrevoo em parte da área atingida, mas não conseguiram avançar e nem pousar, porque a recomendação dos pilotos era de que poderia haver um incidente, em razão da inconsistência do solo.

Minutos depois, o presidente retornou ao tema e disse que sua missão no estado é ajudar, e que o governador, se estivesse presente, poderia expor a situação e fazer alguma solicitação para o governo federal.

“[Ele] Resolveu ficar em casa. A pandemia já acabou. Resolveu ficar em casa. Então a gente lamenta a situação. Mas, mesmo assim, se o governador ligar pra mim, eu atendo, como sempre atendi a todos os governadores que ligaram para a minha pessoa em Brasília”, concluiu.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.