Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Gustavo Maia (interino) Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Contexto global é mais complexo hoje que na crise de 2008, diz Lula na OIT

"Nunca a injustiça social foi tão crucial para a humanidade", declarou o presidente em discurso na Conferência Internacional do Trabalho, na Suíça

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 13 jun 2024, 16h05 - Publicado em 13 jun 2024, 13h19

O presidente Lula discursou há pouco na sessão de encerramento do Fórum Inaugural da Coalizão Global para a Justiça Social, no âmbito da 112ª Conferência Internacional do Trabalho, da OIT, em Genebra, na Suíça, e apontou um cenário mais desafiador do que o da crise econômica global de 2008.

“Retorno à OIT com esperança renovada na atuação conjunta de governos, trabalhadores e empregadores para superar tempos adversos. Não foram poucas as vezes em que o mundo voltou seus olhos para a OIT em busca de soluções ao longo dos seus 100 anos de história”, afirmou o brasileiro, no início do seu pronunciamento de quase 30 minutos.

Na sequência, ele lembrou ter participado de um encontro da organização para discutir a crise do emprego causada pelo colapso financeiro de 2008 e disse que, “desta vez, vivemos um contexto global muito mais complexo”.

“Nossas sociedades ainda se recuperam dos efeitos da pandemia da covid-19 em ritmos muito desiguais. Novas tensões geopolíticas se somam aos conflitos existentes em diferentes partes do planeta. As transições energética e digital já impacientam trabalhadores de todos os países. Os efeitos da mudança climática têm deteriorado a qualidade de vida ao redor do mundo, 2,4 bilhões de trabalhadores são afetados diretamente pelo calor excessivo”, disse Lula.

Continua após a publicidade

Para o presidente brasileiro, o papel da OIT e de seu arranjo tripartite é ainda mais relevante hoje do que quando foi criada: “Nunca a injustiça social foi tão crucial para a humanidade”, declarou. “Precisamos de uma nova globalização — uma globalização de face humana. A justiça social e a luta contra as desigualdades são prioridades da presidência do Brasil do G20 que se realizara em novembro próximo”, completou.

TAXAÇÃO DE SUPER-RICOS

O presidente também defendeu a taxação de grandes fortunas em seu discurso, lamentou a concentração de renda e cutucou o bilionário Elon Musk. “O Brasil está impulsionando a proposta de taxação dos super-ricos nos debates do G20. Nunca antes o mundo teve tantos bilionários. Estamos falando de 3.000 pessoas que detêm quase 15 trilhões de dólares em patrimônio. Isso representa a soma dos PIBs do Japão, da Alemanha, da Índia e do Reino Unido”, disse o petista.

“É mais do que se estima ser necessário para os países em desenvolvimento lidarem com a mudança climática. A concentração de renda é tão absurda que alguns indivíduos possuem seus próprios programas espaciais. Não precisamos buscar soluções em Marte. É a Terra que precisa do nosso cuidado” acrescentou, em alusão ao fato de Musk possuir uma empresa de exploração espacial, arrancando aplausos e risadas da plateia presente.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.