Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Bolsonaro vira padroeiro da estabilidade dos servidores públicos

Com sua postura no Planalto, presidente conseguiu reforçar de forma clara ao país a importância da estabilidade dos servidores

Por Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 18 dez 2021, 11h36 - Publicado em 18 dez 2021, 11h05

Jair Bolsonaro se elegeu prometendo terrenos na lua aos milhares de bolsonaristas ou antipetistas que votaram nele em 2018.

Um deles, uma ameaça a carreiras de Estado, usava o discurso de meritocracia para justificar o fim da estabilidade dos servidores concursados na máquina federal.

Em 2019, o presidente voltou ao tema ao falar da reforma administrativa. “Olha, a ideia é daqui pra frente. Daqui para frente não teria estabilidade, essa é que é a ideia”, disse ao deixar o Alvorada para comprar uma motocicleta em Brasília.

Com o primeiro mandato caminhando para o fim, o presidente coleciona ataques a servidores. Todos relacionados a decisões que freiam interesses de amigos do Planalto ou visões ideológicas distorcidas do presidente.

Continua após a publicidade

O episódio mais recente está na pressão sobre a Anvisa. Se Bolsonaro pudesse, ele teria demitido servidores que autorizaram a vacinação de crianças de 5 a 11 anos com o imunizante da Pfizer. As declarações do presidente são públicas. Ficaram apenas no falatório porque a lei protege os servidores. Há outros exemplos. Muitos exemplos.

Chefe da Economia, Paulo Guedes provocou indignação ao chamar os servidores de “parasitas” em 2020. Levará muito tempo para que o país conheça todos os prejuízos e retrocessos causados pelo governo em diferentes setores da máquina — o que se passou no MEC e o episódio da corrupção na compra de vacinas, denunciado por outro servidor público, mostram que a coisa é feia. Um fato, no entanto, já é cristalino: com sua postura no Planalto, Bolsonaro conseguiu explicar de forma simples ao país a importância da estabilidade dos servidores.

Ela existe para garantir o cumprimento da lei, tentar evitar privilégios aos amigos do poder e barrar devaneios de líderes autoritários de turno.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.