Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Bolsonaro mandaria pessoas não olharem para cima, diz diretor de filme

Sátira lançada pelo Netflix no final do ano passado conta a história de um cometa em rota de colisão com a terra

Por Lucas Vettorazzo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 17 jan 2022, 12h53 - Publicado em 17 jan 2022, 12h51

Adam McKay, diretor do filme “Não Olhe Para a Cima”, disse que, se a sátira em cartaz no Netflix fosse na vida real, Jair Bolsonaro estaria entre os negacionistas que orientariam a população a tomar a atitude que levaria a sua extinção.

O filme lançado no final do ano passado conta a história de um cometa em rota de colisão com a terra. O que se segue é uma batalha de narrativas entre as pessoas que acreditam na catástrofe e tentam evitá-la e os que ou querem lucrar com a desgraça ou negar a gravidade do problema.

Os negacionistas dizem para as pessoas não olharem para cima enquanto os seguidores da ciência pedem para as pessoas olharem para o céu e verem com os próprios olhos o apocalipse à caminho.

A sátira dos tempos modernos faz uma referência quase explícita aos debates em torno da pandemia de Covid-19 e a vacinação contra a doença no mundo. Grupos organizados na sociedade querem levar às pessoas a crerem que a Covid-19 não é tão grave quanto se diz ou que as vacinas não funcionam ou não são confiáveis. O presidente brasileiro está neste segundo grupo, assim como também está a presidente americana interpretada no filme pela atriz Meryl Streep.

Em mensagem no Twitter no domingo, o diretor do longa disse que Bolsonaro seria um dos que diriam para as pessoas olharem para o chão ao invés de encararem o problema com a seriedade que ele merece.

Continua após a publicidade

A publicação é uma reação a um artigo do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), de que se a sátira fosse aplicada à realidade atual brasileira, o Partido dos Trabalhadores seria comparável ao cometa.

“Só para deixar claro, Bolsonaro definitivamente diria às pessoas para não olharem para cima. Sem dúvida”, disse McKay.

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.