Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

As gigantes do streaming e o prejuízo bilionário do audiovisual brasileiro

Levantamento de entidades do setor mostra que houve perda de R$ 6 bilhões enquanto se discutem as regras para o funcionamento das plataformas

Por Ramiro Brites Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 8 Maio 2024, 16h42 - Publicado em 22 jan 2024, 16h03

Um levantamento recente de entidades do audiovisual brasileiro mostra que o setor deixou de arrecadar cerca de 6 bilhões de reais nos últimos sete anos. Duas leis que tramitam no Congresso Nacional regulamentam plataformas de streaming, como a Netflix e Amazon Prime Video, que, apesar de terem produções nacionais nos seus catálogos, não pagam a Condecine, como as empresas instaladas no Brasil.

A Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional paga pelas gigantes do streaming poderia ser revertida na geração de empregos no setor e no aumento da visibilidade das obras nacionais.

A preocupação é compartilhada por quatro das maiores entidades do setor no país: Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais (Apro), Brasil Audiovisual Independente (BRAVI), Sindicato Interestadual da Indústria Audiovisual (Sicav) e Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (Siaesp).

O projeto de lei 8889, do então deputado Paulo Teixeira (PT-SP), recebeu relatório preliminar de André Figueiredo (PDT-CE) em novembro do ano passado, mas ainda não foi apreciado na Câmara. No Senado, a proposta de lei 2331, de 2022, de Nelsinho Trad (PSD-MS), com relatoria de Eduardo Gomes (PL-TO) está na Comissão de Assuntos Econômicos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.