Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Afagos e alertas: o happy hour de Lula com Pacheco e líderes do Senado

Presidente recebeu parlamentares e ministros no Palácio da Alvorada para encontro informal nos mesmos moldes do oferecido a caciques da Câmara

Por Nicholas Shores Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 11h32 - Publicado em 6 mar 2024, 17h51

Assim como já havia feito com líderes da Câmara, Lula recebeu na terça-feira à noite Rodrigo Pacheco (PSD-MG), Davi Alcolumbre (União Brasil-AP) e líderes de partidos aliados no Senado para um encontro informal no Palácio da Alvorada.

Acompanharam o presidente da República os ministros Rui Costa (Casa Civil), Fernando Haddad (Fazenda), Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação Social).

Houve afagos e alertas entre os representantes do Executivo e do Legislativo. 

De um lado, agradecimentos e celebrações pelas propostas na área econômica aprovadas em 2023. De outro, advertências sobre o tamanho da oposição no Senado e a necessidade de consolidar e aumentar a base aliada com mais cargos e emendas.

Ao ver Pacheco, Lula anunciou em alto e bom som que havia chegado o seu candidato a governador de Minas Gerais em 2026. “Eu mudaria de colégio eleitoral para votar nele”, brincou o baiano Otto Alencar, líder da bancada do PSD.

Continua após a publicidade

Quanto teve a palavra, o presidente do Senado afirmou que a eleição de Lula dois anos atrás havia sido “muito importante” para a democracia, diante de um adversário que rumava para um “caminho muito perigoso” e tramava um plano de golpe envolvendo até a sua própria prisão.

O mineiro também buscou mitigar ruídos sobre propostas que ele tem promovido no Senado com apoio da oposição, notadamente no campo dos costumes, pontuando que a divergência é própria do funcionamento do Legislativo e das relações com os demais Poderes.

Pacheco disse que está à disposição do governo Lula para ajudar a formar maioria a favor dos projetos de interesse do país. 

Como já mostrou o Radar, esse processo passa pela premissa de que qualquer iniciativa do Planalto no Senado parte do patamar de 38 votos contrários. Se, no frigir dos ovos, os votos “não” forem menos, é porque houve articulação do chefe da Casa e de seu núcleo duro de aliados – sempre coordenado por Alcolumbre — para viabilizar a proposta em questão.

Continua após a publicidade

É esse um dos motivos para Alcolumbre ter sido convidado mesmo não sendo líder de bancada. Também é fator importante a intenção nada secreta de voltar ao comando da Casa em fevereiro de 2025.

Outro destaque da noite foi uma intervenção de Eliziane Gama (PSD-MA), a única mulher presente no Alvorada na terça-feira, pedindo que Lula apoiasse o aumento da representatividade feminina em encontros políticos como aquele.

A senadora, que foi presidente da CPMI do 8 de Janeiro, conseguiu do petista o compromisso de organizar um jantar com a bancada feminina.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.