Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

A nova derrota de Bolsonaro no TSE por abuso de poder no 7 de setembro

Justiça Eleitoral aceitou denúncia da campanha de Lula e multou o ex-presidente em R$ 50 mil

Por Ramiro Brites Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO , Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 28 jul 2023, 21h23 - Publicado em 28 jul 2023, 20h29

O ministro Benedito Gonçalves, do TSE, acatou a denúncia da coligação Brasil da Esperança, chapa de Lula e Alckmin nas eleições do ano passado, e multou Jair Bolsonaro e Walter Braga Netto, em 55.000 reais cada, por abuso de poder econômico na comemoração do bicentenário da independência do Brasil. Os candidatos à presidência e vice-presidência da República descumpriram decisões judiciais e mantiveram publicações do 7 de setembro.

Gonçalves também marcou a data de depoimentos dos governadores Ibaneis Rocha, do Distrito Federal, e Cláudio Castro, do Rio de Janeiro, os ex-ministros Ciro Nogueira, Paulo Sergio Nogueira e o ex-deputado Daniel Silveira. De acordo com o TSE, os aliados de Bolsonaro transformaram os atos de comemoração ao Dia da Independência em comícios bolsonaristas em Brasília e no Rio. 

“A vontade do povo se fará presente no próximo dia 2 de outubro. Vamos todos votar, vamos convencer aqueles que pensam diferente de nós, vamos convencê-los do que é melhor para o nosso Brasil”, disse o então presidente, na capital federal.

A decisão ainda multa Bolsonaro e Braga Netto, candidato à vice-presidente, em mais 10.000 reais por litigância de má fé. O ministro do TSE também pediu documentos que comprovem o custeio do evento no Rio de Janeiro e uma nota fiscal emitida pelo pastor Silas Malafaia. 

“As determinações do ministro Benedito nesta AIJE seguem nossa linha de argumentação de que os eventos em comemoração ao Bicentenário do 7 de Setembro foram descaradamente atos de campanha para promover a reeleição de Jair Bolsonaro. Um evidente descumprimento à legislação eleitoral, na medida em que está configurado de forma inequívoca abuso de poder econômico e político”, comentou o advogado Angelo Ferraro, que representa o PT no TSE.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.