Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Paraná Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por VEJA Correspondentes
Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens paranaenses. Por Guilherme Voitch, de Curitiba
Continua após publicidade

Ratinho Junior declara apoio a Bolsonaro e fala em “momento de ruptura”

O governador eleito do Paraná afirmou que primeiro turno deu recado aos "profissionais da política" e prometeu modernização administrativa no estado

Por Guilherme Voitch
Atualizado em 30 jul 2020, 20h16 - Publicado em 8 out 2018, 01h06

Em sua primeira entrevista coletiva como governador eleito do Paraná, Ratinho Junior (PSD) afirmou, neste domingo, 7, que os resultados do primeiro turno em todo o Brasil demonstram um “momento político de ruptura”.

“As urnas responderam de uma maneira que pouca gente esperava e fazia a leitura. Foi um recado forte que o brasileiro deu aos profissionais da política”, disse o governador eleito, que já declarou apoio ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro, no segundo turno das eleições presidenciais.

Bolsonaro gravou mensagens de apoio a Ratinho no primeiro turno, mesmo com o PSL tendo lançado o advogado Ogier Buchi como candidato ao governo no Paraná. Durante a campanha, Ratinho também fez acenos a Bolsonaro, mas, em mais de uma oportunidade, afirmou que estava comprometido com a candidatura do paranaense Álvaro Dias (Podemos) à Presidência

O novo governador parabenizou também os dois senadores eleitos: Oriovisto Guimarães (Podemos) e Flávio Arns (REDE). “São duas pessoas íntegras e sérias que são apaixonadas pelo Paraná e vão ajudar a fortalecer nosso estado em Brasília”, disse. Questionado sobre o apoio que recebeu de diversos aliados do ex-governador Beto Richa (PSDB), mesmo com o PSDB integrando à coligação de Cida Borghetti (PP), Ratinho evitou falar em cargos e formatação do novo governo. “Não temos compromisso com ninguém”, garantiu.

Continua após a publicidade

Ratinho também prometeu transformar o Paraná no estado mais moderno do Brasil. “Logo no início do governo iremos diminuir o número de secretarias, acabar com as mordomias e trabalhar pela modernização da parte administrativa do estado.”

Perfil

Ratinho Junior tem 37 anos e é formado em Marketing e Propaganda. Foi deputado estadual, federal e perdeu a eleição para a prefeitura de Curitiba para Gustavo Fruet (PDT) em 2012. Na gestão de Beto Richa no governo do estado, foi secretário de Desenvolvimento Urbano. Ratinho será, em 53 anos, o primeiro governador eleito pelo voto direto no Paraná que não foi prefeito de Curitiba ou senador da República.

O último governador a ser eleito pelos paranaenses sem passar por nenhum desses cargos foi Paulo Pimentel, em 1965. Desde a redemocratização foram eleitos três ex-prefeitos de Curitiba (Beto Richa, Roberto Requião e Jaime Lerner) e dois ex-senadores (Alvaro Dias e José Richa). No período militar, o Paraná teve governadores sem passagem pelos dois cargos, mas eles foram eleitos pelos deputados estaduais, sem voto direto.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.