Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

O Som e a Fúria

Por Felipe Branco Cruz
Pop, rock, jazz, black music ou MPB: tudo o que for notícia no mundo da música está na mira deste blog, para o bem ou para o mal
Continua após publicidade

Por que Anitta, com 12 anos de carreira, concorre como revelação no Grammy

Artista se tornou a segunda brasileira a ser indicada na categoria de artista revelação

Por Kelly Miyashiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 15 nov 2022, 16h41 - Publicado em 15 nov 2022, 16h38

Anitta foi indicada nesta terça-feira, 15, pela primeira vez ao Grammy, na categoria artista revelação. Com 12 anos de carreira, a carioca conquistou uma vaga na lista de indicações graças ao hit Envolver, que virou sucesso mundial neste ano, chegando a entrar até no livro dos recordes como a primeira artista solo latina a alcançar o primeiro lugar no Spotify. Antes dela, as indicações de brasileiros sempre ficavam restritas a categorias como world music, jazz ou música clássica, jamais em categorias de música pop.

A brasileira concorre com Omar Apollo, DOMi & JD Beck, Samara Joy, Latto, Måneskin, Muni Long, Tobe Nwigwe, Molly Tuttle e Wet Leg. Os troféus do 65º Grammy Awards serão entregues em 5 de fevereiro de 2023, em Los Angeles (EUA). Ela se tornou a segunda brasileira da história a concorrer como artista revelação. A primeira foi Astrud Gilberto, que dividiu a indicação com Antônio Carlos Jobim em 1965, com a canção Garota de Ipanema, mas não ganharam.

Em abril deste ano, Anitta lançou seu quinto disco, Versions of Me que teve 1 bilhão de reproduções no Spotify com as músicas como I’d Rather Have Sex, Boys Don’t Cry e Gimme Your Number, representando a investida intensa da brasileira no mercado estrangeiro. A cantora também faturou seu primeiro Video Music Awards em 2022.

Outros brasileiros já concorreram ao Grammy e faturaram o troféu. Apesar de não ter ganhado como artista revelação em 1965, Astrud Gilberto levou a estatueta de melhor gravação naquele ano, também por Garota de Ipanema. Na categoria de melhor álbum de jazz latino, Antônio Carlos Jobim ganhou em 1996 e Eliane Elias venceu em 2016 e 2017.  Milton Nascimento levou a estatueta de melhor álbum de música do ano em 1998, assim como Caetano Veloso em 2000. Em 1993 e 2002, Sérgio Mendes e Gilberto Gil venceram, respectivamente, como melhor álbum contemporâneo de música do mundo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.