Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Noblat

Por Coluna
O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Precisa e deve ser cuidada para não morrer

Democracia somente sobrevive com boa governança.

Por Elton Simões
Atualizado em 30 jul 2020, 19h54 - Publicado em 11 mar 2019, 11h00

Só é possível para imaginar (ou talvez nem isso) como se sentiam os delegados da Convenção da Filadélfia em 1787. Contra as expectativas, haviam saído vitoriosos de guerra pela independência contra a maior potência da época, a Inglaterra. Conquistaram a independência. Agora precisavam inventar um país a partir de uma coleção de ex-colônias, representadas por ex colonizados.

O grande desafio era escolher a forma e criar as fundações para um novo sistema de governo. Não bastava remendar antigas formulas. A situação demandava a criação de novo sistema, baseados em novos ideais e ideias, que poderiam sustentar uma nova nação. Romper com o passado era necessário.

Demorou e foi difícil chegar a um acordo. Mas ao fim de 5 meses, escreveram a constituição que (com algumas emendas) vigora até hoje nos EUA. Estavam lançadas as bases para a criação daquela que viria a ser a maior potência do mundo.

Dizem que Benjamin Franklin, um dos participantes da convenção, ao sair do prédio após seu encerramento, foi interpelado por uma senhora que esperava a porta do prédio. Ela perguntou o que havia sido decidido: república, ou simplesmente uma não monarquia. Franklin, em seu estilo, respondeu República, minha senhora. Isso se fomos capazes de cuidar bem dela.”.

Continua após a publicidade

Nem bem havia sido criada, a primeira democracia do mundo já tinha noção de sua fragilidade. Seus criadores reconheciam, sem qualquer constrangimento, a necessidade de trabalhar para consolidar e manter aquilo que haviam conquistado. Humidade esta que talvez nós devêssemos copiar.

Democracia somente sobrevive com boa governança. E através de valores que possam institucionalizar seus princípios básicos. Sem isso, ela não sobrevive. Adoece e morre. E do seu corpo decomposto nasce populismo, autoritarismo e outras formas de sistema político. Todas possíveis e, por vezes, até viáveis. Mas sempre indesejáveis.

Quando a descrença bate, o populismo aparece, a desilusão prevalece, e a corrupção predomina, a democracia adoece. Nações que se perdem a fé nas instituições se tornam tão corruptas que precisam de autoritarismo, já que são ou se tornam incapazes de qualquer outra forma de governo.

Continua após a publicidade

Democracia não é o fim da história, nem forma inevitável de evolução humana. Ao contrário. É escolha civilizatória consciente. Um entre vários modelos possíveis. Precisa e deve ser cuidada para não morrer. Está, por definição, sempre sob ameaça.

 

Elton Simões mora no Canadá. É President and Chair of the Board do ADR Institute of BC; e Board Director no ADR Institute of Canada.É árbitro, mediador e diretor não-executivo, formado em direito e administração de empresas, com MBA no INSEAD e Mestrado em Resolução de Conflitos na University of Victoria. E-mail: esimoes@uvic.ca .

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.