Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Noblat Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por Coluna
O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Feliz aniversário, Pequeno Príncipe

Memórias do blog

Por Ricardo Noblat
Atualizado em 7 abr 2018, 12h00 - Publicado em 7 abr 2018, 12h00

Texto do dia 07/04/2011

Era uma vez um francês que media quase 2 metros de altura, falava português com um sotaque carregado, vestia-se de maneira sóbria e elegante e sabia ser gentil com as pessoas. Um sedutor!

Dono de vasta cultura e de uma memória prodigiosa, sentia-se particularmente estimulado quando lhe pediam para falar de um velho amigo – Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint-Exupéry.

– Ah, como foram quase sempre agradáveis nossos voos solitários sobre o Atlântico – divagava melancólico.

Continua após a publicidade

E lembrava sobre o quê conversavam. Contava histórias de países exóticos que haviam conhecido juntos. E até se permitia cometer algumas indiscrições sobre determinados hábitos de Saint-Exupéry.

– Meu velho amigo se tornou um dos homens mais famosos do mundo – declamava orgulhoso.

E, provocado, citava de cor trechos inteiros do livro que imortalizou Saint-Exupéry, O Pequeno Príncipe, que ontem completou 68 anos desde que foi publicado pela primeira vez .

Continua após a publicidade

Na França? Não.

Nos Estados Unidos, em inglês e francês, no dia 6 de abril de 1943. Na França, a primeira edição só saiu em 1946. Saint-Exupéry estava morto. Hoje, o livro pode ser lido em 250 línguas e dialetos.

Pois é. Envelheceu o sábio menininho de cabelos louros cacheados que cativou tantas gerações desde então.

Continua após a publicidade

Em 1968, o tal amigo de Saint-Exupéry estava no Recife, paparicado pela alta sociedade, na condição de comandante da Varig encarregado da inauguração do voo que ligaria a cidade a Paris.

Fora hóspede do luxuoso Grande Hotel. Estava hospedado no Hotel São Domingos quando o entrevistei para o Jornal do Commercio a pedido de Vladimir Calheiros, editor-chefe do jornal.

Antes de entrevista, reli O Pequeno Príncipe, li Voo Noturno, do mesmo autor, e consultei tudo o que havia sobre Saint-Exupéry em duas pastas do Departamento de Pesquisa do jornal.

Continua após a publicidade

A entrevista ocupou a capa do Caderno 2 com direito à chamada na primeira página do jornal.

O francês telefonou no mesmo dia elogiando minha fidelidade ao que ele dissera. Por fim, convidou-me para o voo inaugural da rota Recife-Paris.

Paris!!!

Continua após a publicidade

Eu só voara uma vez na vida – assim mesmo entre Recife e Salgueiro, alto sertão de Pernambuco. Uma viagem de menos de uma hora num desconfortável avião do Exército destinado a paraquedistas.

Tinha 18 anos.

O jornal concordou com a viagem a Paris. Exultante, tirei passaporte. Consegui roupa de frio emprestada por amigos. E por fim procurei a gerência da Varig para saber a data do voo.

A gerência da Varig procurava o tal francês desde o dia da publicação da entrevista.

Ele dera um cano nos hotéis onde se hospedara. Enganara as muitas pessoas que o recepcionaram. Não era francês – era argelino. Não era comandante da Varig. Tampouco a Varig pretendia inaugurar a rota Recife-Paris.

Se tinha sido amigo de Saint-Exupéry, não se sabia. Jamais se soube.

Sempre que leio alguma notícia sobre O Pequeno Príncipe me lembro do grande e fascinante vigarista que conheci.[Não foi o único.}

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.